Perfis de aço facilitam cravação e têm alto desempenho em contenções

Solução é largamente utilizada em obras de diferentes portes, tanto na construção de subsolos de edifícios, quanto em rodovias. Uso de perfil metálico é indicado onde o nível de água está abaixo da cota final de escavação

Publicado em: 18/06/2018Atualizado em: 09/11/2018

Texto: Juliana Nakamura

banco-cetelem
Obra: Edifício Brasil – Construtora Tecnum – (Foto: Divulgação Gerdau)

 

Alternativa industrializada e consagrada para fundações profundas, as estacas de aço são também opção para estruturar contenções provisórias ou permanentes em diferentes situações. A tecnologia consiste na cravação de perfis metálicos estruturais junto às divisas do terreno a ser escavado, permitindo a construção de muros de arrimo, cortinas de contenção e paredes diafragma capazes de conter uma possível ruptura do maciço e suportar pressões laterais.

vantagens associadas

“Os perfis metálicos são usados no Brasil desde a década de 1950 e consistem em uma técnica de amplo domínio por projetistas, executores e construtores”, explica o engenheiro Frederico Fernando Falconi, sócio-diretor do ZF & Engenheiros Associados. Segundo o especialista na área de fundações e geotecnia “o uso de perfis metálicos ocorre principalmente em terrenos onde o nível de água está abaixo da cota final de escavação”.

Por conta da velocidade de execução gerada, a contenção com perfis de aço também é muito útil em serviços emergenciais em estradas e ferrovias
Luiz Antonio Naresi Júnior

A possibilidade de atingir profundidades maiores, a alta capacidade de carga, a facilidade e o baixo nível de vibração durante a cravação, além da elevada resistência à percussão, são motivos que justificam o uso de estacas de aço nessas aplicações.

“Em comparação com as estacas pré-moldadas de concreto, as de aço tendem a ocupar menos espaço, ser mais leves e causar menos vibração na cravação”, diz Falconi, ponderando que estacas pré-fabricadas de concreto não são comumente usadas em obras de contenção.

Aplicações Práticas

Na construção de edifícios multipavimentos, a contenção com perfis de aço é competitiva em obras situadas em áreas restritas e de subsolos com estacionamentos em grandes centros urbanos. A construtora MBigucci, por exemplo, utilizou essa tecnologia em vários empreendimentos residenciais, como o Unique, em São Bernardo do Campo (SP); o Sonata, em Santo André (SP); e o New Life, em São Paulo (SP). “Nesses casos, a escolha se deu pelo custo-benefício do sistema, já que além de conter o solo, os perfis podem servir como apoio para partes da estrutura do edifício, otimizando serviços e cronograma”, explica o diretor técnico da construtora, Milton Bigucci Junior.

Em rodovias, os perfis de aço também são materiais importantes. Na região de Contagem (MG), as obras da Autopista Fernão Dias (concessão do Grupo Arteris) utilizaram perfis cravados com espaçamento entre eixos de 80 cm na composição de paredes de contenções. Para vedação, foram empregadas placas de concreto pré-fabricadas fixadas aos perfis por consoles metálicos soldados nas mesas dos perfis. Para evitar a fragilidade das placas de fechamento, o espaço entre as placas e os perfis foi preenchido com concreto magro.

“Por conta da velocidade de execução gerada, a contenção com perfis de aço também é muito útil em serviços emergenciais em estradas e ferrovias, para impedir a queda de blocos sobre pistas e trilhos”, cita o engenheiro Luiz Antonio Naresi Júnior, consultor da Progeo Engenharia. Ele explica que, nessas situações, os perfis cravados ao longo do acostamento podem ser conjugados tanto com telas metálicas com alta resistência quanto com painéis de concreto pré-fabricado.

(...) O uso de perfis metálicos ocorre principalmente em terrenos onde o nível de água está abaixo da cota final de escavação
Frederico Fernando Falconi

Dimensionamento

Em obras de contenção, costumam ser utilizados perfis laminados em seções I ou H, espaçados de acordo com a exigência do projeto.

“O dimensionamento dessas estruturas se dá a partir da análise da sondagem, que ajuda o projetista a definir se os perfis serão chumbados ou ancorados na rocha, bem como as cargas que poderão suportar”, comenta Naresi. Ele lembra que estruturas de contenção devem ser rígidas o suficiente para absorver os esforços originários do maciço de terra e limitar os deslocamentos horizontais a níveis aceitáveis. “Muitas vezes, essas estruturas também são dimensionadas para absorver cargas verticais provenientes dos pilares e das lajes da edificação que venham a se apoiar nelas”, finaliza o engenheiro.

Leia também: Aço é solução durável e sustentável

COLABORAÇÃO TÉCNICA

Frederico Fernando Falconi – engenheiro civil com mais de 35 anos de experiência na área de fundações e geotecnia. É sócio-diretor da ZF Solos & Engenheiros Associados e membro do Deep Foundation Institute.

Luiz Antonio Naresi Júnior – engenheiro civil, pós-graduado em Engenharia Geotécnica. É membro da Associação Brasileira de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica (ABMS) e consultor de fundação pesada e geotecnia da Progeo Engenharia.

Milton Bigucci Junior – Engenheiro civil e advogado. É diretor técnico da construtora MBigucci.