Pisos sustentáveis exigem escolha criteriosa

Na hora de definir qual é o produto mais adequado à sua necessidade é preciso analisar características estéticas, ambiente e intensidade de utilização

Publicado em: 06/11/2012Atualizado em: 10/03/2020

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Projeto de iluminação em residências
Para ter certeza se o piso é sustentável e atende a todos os requisitos, uma dica é procurar por rótulos de certificação (Foto: medvedsky.kz/ Shutterstock)

Para construir ou reformar levando em conta o respeito à natureza, uma boa opção é começar pela base da obra. De composição variada e com diferentes finalidades, os pisos sustentáveis são uma realidade no mercado. Porém, com tantos produtos disponíveis, como saber o que, de fato, torna um piso sustentável e qual utilizar?

“O produto sustentável é aquele que não faz mal à saúde, tem qualidade assegurada para o que se propõe, é fabricado por empresa com responsabilidade social, ambiental e comunicação ética. Assim, um piso de bambu, fonte rapidamente renovável, pode não ser sustentável se não for produzido com consciência socioambiental”, responde Paola Figueiredo, vice-presidente executiva do grupo SustentaX e professora do curso de certificação LEED e Sustentabilidade em Edifícios Comerciais do Instituto Presbiteriano Mackenzie.

Para ter certeza se o piso é sustentável e atende a todos os requisitos, uma dica é procurar por rótulos de certificação, que atestam o compromisso do fabricante e do produto com o meio ambiente. O material utilizado para sua produção é um dos fatores determinantes. Atualmente, entre as principais alternativas, estão os compostos por bambu, eucalipto, borracha e vinil (PVC).

ESPECIFICAÇÃO

Paola afirma que, para escolher corretamente o produto e obter um resultado satisfatório, é preciso analisar, além das características estéticas, o ambiente e a intensidade de utilização. “Ao optar pelo piso sustentável estão sendo consideradas, além das questões ambientais, propriedades como qualidade e segurança – por exemplo, evitar escorregamentos”, explica.

Um dos fatores que deve ser observado é quem utiliza o espaço, lembrando que crianças e idosos necessitam de cuidados especiais em relação à segurança. Neste caso, uma opção é o piso fabricado a partir da borracha, por ser antiderrapante e ter melhor absorção de impactos.

Para áreas úmidas, uma boa escolha é o piso de vinil em mantas soldadas a quente, pois é impermeável e previne o surgimento de fungos e bactérias. “Outra questão que requer atenção é o tráfego: em locais com trânsito intenso de pedestres, recomenda-se o uso de piso com maior durabilidade, como o de eucalipto”, diz ela.

Já em áreas com menor circulação de pessoas, como salas ou quartos, podem ser utilizados pisos de PVC ou de bambu, que, por se assemelharem ao piso de madeira também colaboram visualmente com o ambiente. “Quando se opta por piso de madeira ou derivados, é aconselhável averiguar se a origem da matéria-prima é legal e a produção responsável. Para isso, basta verificar se o produto possui o selo FSC ou CERFLOR”, alerta.

APLICAÇÃO

A primeira ação antes de aplicar qualquer tipo de piso sustentável é preparar adequadamente o contrapiso, que deve estar impermeabilizado, nivelado, limpo e livre de qualquer tipo de sujeira. Como os tipos de pisos são variados, cada um possui características próprias de instalação. O de bambu, por exemplo, tem uma leve contração e expansão dependendo do ambiente, por isso deve ser desembalado pelo menos três dias, ou mais, antes da montagem, para permitir que o produto se aclimate ao ambiente.

Segundo Paola, para não haver problema no momento da aplicação, a melhor solução é consultar o fabricante sobre o modo correto de instalar o produto. “É importante seguir as instruções do produtor e verificar se a equipe que vai realizar o serviço é treinada”, diz.

QUALIDADE

Existem diferentes normas técnicas em vigor para sistemas de pisos e revestimentos. Antes da compra do produto, é preciso conhecer a norma específica do piso escolhido e ter a garantia de que ele a atenda.

MANUTENÇÃO

A principal preocupação é a limpeza. Os que exigem menos cuidado são os de borracha – basta varrê-los. Já o de PVC, de bambu e o de eucalipto pedem outros procedimentos. Após tirar a poeira, é necessário passar um pano úmido com soluções de limpeza doméstica, sabão neutro ou água.

VANTAGENS

De acordo com Paola adquirir o piso sustentável tem as seguintes vantagens: “ao optar por um produto sustentável, não é apenas o meio ambiente que é favorecido, mas também a saúde da família, a garantia de qualidade e a produção responsável”.

É bom saber

Os valores dos pisos sustentáveis variam de acordo com o tipo de material e o fabricante. Por isso, é preciso pesquisar bem antes de adquirir esses produtos. A relação custo-benefício é positiva, já que possui longa durabilidade. Pisos sustentáveis bem cuidados têm vida útil mínima entre 10 e 15 anos, dependendo da matéria-prima.


Colaboração técnica

Paola Figueiredo é vice-presidente executiva do grupo SustentaX e professora do curso de certificação LEED e Sustentabilidade em Edifícios Comerciais do Instituto Presbiteriano Mackenzie. Participou do desenvolvimento do Selo Sustentax, que auxilia os consumidores na identificação de produtos, materiais, equipamentos e serviços sustentáveis.