Plataformas de tour virtual dão agilidade e precisão às atividades nos canteiros

Com câmeras 360 graus ou mesmo smartphones, a tecnologia permite acompanhar a evolução da obra à distância e realizar medições, entre outros recursos. Entenda

Publicado em: 24/06/2021

Texto: Juliana Nakamura

Tour virtual canteiro de obras
A captura das fotografias pode ser realizada com um smartphone (Foto: LOOKSLIKEPHOTO.COM/Shutterstock)

O tour virtual é uma tecnologia baseada em câmeras e softwares que trabalham com realidade virtual tridimensional para criar digitalmente uma visão panorâmica completa dos ambientes, além de arquivos que permitem a navegação do usuário.

Especialmente impulsionado pelas transformações sociais resultantes da pandemia de Covid-19, o mercado imobiliário se apropria bastante dessa solução como apoio ao marketing, para apresentar imóveis remotamente. Outra aplicação crescente desta tecnologia é em canteiros de obras, fruto da percepção de construtoras e gerenciadoras da necessidade de racionalizar o tempo gasto nas atividades de vistorias e produção de relatórios.

“Algumas obras de agências bancárias, por exemplo, exigem vistorias com até nove horas de duração, além da realização de 600 fotos e a organização de relatórios com até 80 páginas de papel. Além do tempo e dos recursos despendidos, o método convencional de acompanhamento da obra envolve, ainda, retrabalho e falhas, como áreas não retratadas ou fotos produzidas em pontos de sombras”, comenta Renato Oliveira, CEO da Banib.

AGILIDADE E TRANSPARÊNCIA

O passeio virtual aplicado aos canteiros de obras é bastante simples e se divide em duas etapas principais. Na primeira, é feita a captura das fotografias com um equipamento adequado para imagens 360º que pode ser um smartphone ou, preferencialmente, uma câmera portátil 360°. Em seguida, efetua-se o processamento em uma plataforma específica para baixar os arquivos, compartilhá-los e avaliá-los.

Com essa tecnologia, é possível captar 70 fotos em 35 minutos e finalizar o tour em 20 minutos
Renato Oliveira

“Com essa tecnologia, é possível captar 70 fotos em 35 minutos e finalizar o tour em 20 minutos”, diz Oliveira. Ele conta que, além da velocidade que se traduz em ganho de produtividade, o tour oferece vantagens com relação às fotos tradicionais, pois oferecem uma visualização tridimensional com mais profundidade. É possível ver o local na totalidade, em vez de várias vistas parciais.

O passeio virtual também cria oportunidade para que profissionais, clientes e gestores visitem a obra em qualquer horário do dia. Por exemplo, nas obras de restauro e ampliação do Museu do Ipiranga, sob responsabilidade da construtora Concrejato, em São Paulo, a visita virtual vem permitindo que os trabalhos sejam acompanhados remotamente tanto por gestores e financiadores, quanto pelo público.

Como o BIM 4D transforma o planejamento de construtoras e incorporadoras?
Como QR codes aceleram a transformação digital dos canteiros?

ANTECIPAÇÃO DE PROBLEMAS

Mais do que uma sequência de imagens digitais, o tour virtual incorpora funcionalidades importantes para os gestores de obras. Uma delas é a possibilidade de travar duas telas lado a lado e comparar a evolução da obra em um dado período. Além disso, é possível obter medições digitais de componentes dentro do tour.

Uma das vantagens é a possibilidade de antecipação de análises e verificações técnicas, além da agilidade para resolver problemas, sem precisar trazer várias pessoas para dentro da obra
Érica Pinheiro

Segundo Érica Pinheiro, gerente executiva de produto na Bild, as plataformas de tour virtual podem ser utilizadas em diversas situações nos canteiros, principalmente nas etapas de validação e acompanhamento dos serviços executados. “Uma das vantagens é a possibilidade de antecipação de análises e verificações técnicas, além da agilidade para resolver problemas, sem precisar trazer várias pessoas para dentro da obra”, explica Pinheiro.

Ela conta que a Bild está implantando um sistema de validação virtual de apartamento modelo. “Realizamos validações virtuais de etapas importantes de alguns serviços como, por exemplo, estrutura, impermeabilização e vedações. Além disso, na maioria de nossas obras, utilizamos validações virtuais através de chamadas de vídeo em tempo real com os responsáveis”, conta. “A ideia é passar a utilizar modelos 3D para antecipar tomadas de decisão importantes evitando retrabalhos”, explica a gerente da Bild.

CUIDADOS DE IMPLANTAÇÃO

Embora seja uma tecnologia de fácil entrada nas rotinas das construtoras, alguns pontos são fundamentais para o sucesso das aplicações de tour virtual. É importante que haja uma boa infraestrutura de internet e recursos de tecnologia como tablets, celulares ou computadores com capacidade de processamento de dados suficiente para atender o processo. “A utilização de modelos 3D BIM (Building Information Modeling) também facilita muito a verificação e validação dos tours virtuais”, comenta a gerente da Bild.

O custo de implantação também não é um problema. Segundo Oliveira, as construtoras já podem contratar pacotes nos quais o preço por imagem armazenada gira na casa de centavos.

Leia também:

Como a digitalização da FVS pode acelerar a transformação digital?

Quer conhecer uma plataforma para gerenciamento de obras? Clique aqui!

Colaboração técnica

 
Renato Rodrigues Oliveira — Com formação em fotografia e marketing, pós-graduado em gerenciamento de processos, é CEO da Banib, startup que desenvolve soluções para construtoras e para o mercado imobiliário a partir de experiências virtuais em 360°.
 
Érica Pinheiro — Graduada em arquitetura e urbanismo, mestre em arquitetura e construção, é gerente executiva de produto da Bild Desenvolvimento Imobiliário.