Projetos em madeira engenheirada ganham corpo no Brasil

Presente no exterior há mais de 20 anos, o sistema construtivo mais leve e tão resistente quanto o concreto está conquistando a engenharia nacional

Publicado em: 16/03/2021Atualizado em: 30/10/2022

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Projeto em madeira engenheirada
Empreendimento multipavimento tem sistema híbrido, com núcleo de concreto e estrutura em madeira (Foto: Divulgação/HTB Engenharia e Construção)

Movida pela tendência que se registra no mercado mundial, a HTB Engenharia e Construção tem pronto o primeiro projeto de empreendimento corporativo multipavimentos do país que utiliza a tecnologia construtiva em madeira engenheirada. A obra adotará sistema híbrido, com núcleo de concreto e estrutura em madeira, incluindo pilares, vigas e lajes. No momento, aguarda incorporador e terreno de cerca de 2 mil m² para sua execução.

Foi graças ao premiado projeto Floresta Urbana, assinado pelo escritório Triptyque Arquitetura, que a tecnologia da madeira engenheirada ganhou os holofotes no setor da construção civil nacional. “Estudamos este projeto em 2019 e fomos escolhidos para sua execução, que até o momento está em estudo de viabilidade financeira. Foi o que chamou nossa atenção para o sistema em madeira e não paramos de estudar esta fascinante tecnologia desde então”, conta a engenheira Adriana Nunes Machado, superintendente de Novos Negócios da HTB Engenharia.

Leia também:

Madeira engenheirada é opção estrutural para edificações

A tecnologia já está presente em obras no Brasil como a nova ala do Shopping Iguatemi Fortaleza (CE), a Residência Estudantil Fundação Bradesco, em Canuanã (TO), e a loja Dengo de chocolates, no bairro paulistano de Pinheiros.

Propriedades do sistema

“O sistema da madeira engenheirada – em inglês Mass Timber – é produzido através da colagem de lamelas, com adesivo estrutural de alta pressão, atingindo altas capacidades de cargas”, expõe a engenheira. São dois os elementos estruturais mais utilizados dessa tecnologia:

• Madeira Lamelada Cruzada ou Cross Laminated Timber (CLT), utilizada para lajes e paredes industriais;
• Madeira Lamelada Colada (MLC) ou Glulam, usada para pilares e vigas;

A madeira engenheirada é uma estrutura leve, sustentável e industrializada, com a qual podemos aplicar todos os conceitos de Lean Construction e de BIM
Adriana Nunes Machado

“A madeira engenheirada é uma estrutura leve, sustentável e industrializada, com a qual podemos aplicar todos os conceitos de Lean Construction e de BIM. Os elementos estruturais são produzidos na fábrica, de acordo com o projeto, e chegam prontos para montagem no canteiro, aumentando a produtividade e impedindo as ‘gambiarras’ nas obras”, explica.

Não há limite de altura para a construção em estrutura híbrida com madeira engenheirada. No Japão, por exemplo, o projeto de uso misto denominado W350 terá 70 pavimentos, enquanto os atuais, na Europa, ficam entre 18 e 20 andares. Porém, em prédios muito altos, a leveza da madeira exige estruturação mais robusta, o que torna o sistema financeiramente menos interessante. Segundo ela, a média gira em torno de 8 a 10 pavimentos.

Neste momento em que o sistema começa a ser introduzido no Brasil, a análise comparativa de custos com os sistemas convencionais é similar, pois ainda há os custos de desenvolvimento e não existe ainda a repetição. “Nos países que dominam a tecnologia, já se comprovou que o custo é menor. No futuro, num cenário ideal, a perspectiva é que aqui fique entre 10 e 15% mais econômico do que o concreto, até mesmo por sua característica de construção modular industrializada”, prevê a engenheira, lembrando que a construção em madeira engenheirada tem os benefícios da industrialização, menores prazos e maior produtividade.

Projeto em madeira engenheirada
Pilares, vigas e lajes serão executados em madeira (Foto: Divulgação/HTB Engenharia e Construção)

Propriedades da madeira

No Brasil, a madeira utilizada é a de reflorestamento, podendo ser o pinus ou eucalipto, e tratada com produtos específicos. Sua capacidade de suporte de carga é semelhante à do concreto, porém, é cinco vezes mais leve, o que colabora com fundações menos onerosas. “A leveza é tamanha que dois homens transportam um pilar, o que seria impossível com o de concreto”, ressalta.

Longa vida útil é outra vantagem da madeira, porém normalmente existem dúvidas referentes à resistência ao fogo e aprovação pelo Corpo de Bombeiros, que aprova os projetos baseados no desempenho do material. Sendo assim, para o dimensionamento das peças estruturais, são consideradas dimensões extras, pois em caso de incêndio, pode carbonizar, mantendo todo suporte de carga da edificação. Além disso, a madeira recebe uma aplicação de retardante.

Nos países que dominam a tecnologia, já se comprovou que o custo é menor. No futuro, num cenário ideal, a perspectiva é que aqui fique entre 10 e 15% mais econômico do que o concreto
Adriana Nunes Machado

Aspecto sustentável da madeira é a propriedade de absorver gás carbônico, enquanto o concreto e o aço liberam esse elemento na atmosfera. “Para mensurar esta diferença, pode-se citar que, no processo produtivo, de 1 m³ da madeira é possível retirar 1 tonelada de CO2, enquanto 1 m³ de concreto libera CO2 na atmosfera. “Assim, ela colabora com a redução do efeito estufa, o que é importante também diante da perspectiva já apontada na Europa de taxação dos meios produtivos que produzem CO2, como a construção civil”, explica.

É, ainda, material que atende ao conceito de biofilia, segundo o qual elementos da natureza embarcados nas construções promovem bem-estar, saúde e conforto emocional, aumentando consequentemente a produtividade dos usuários de edifícios corporativos. Por essa razão, empreendimentos do tipo na Europa alcançam valor de locação um pouco mais elevados. “Esse dado foi considerado por nós na avaliação financeira do projeto”, diz.

Baixe aqui a nossa lista mestra com controle de nomenclatura de arquivos e organize melhor os seus projetos.

Estudo da tecnologia

Na trajetória do desenvolvimento do projeto, a equipe de engenharia da HTB passou um ano estudando a tecnologia, o que incluiu curso no Núcleo da Madeira e pesquisa sobre o que já existe em outros países, afinal a Europa emprega o sistema há mais de 20 anos. A empresa participou do Woodrise 2019, congresso mundial realizado em Quebec (Canadá), e contratou a consultoria internacional Equilibrium, com experiência em mais de 100 projetos no Canadá e EUA. Somou-se, ainda, o apoio técnico da empresa do mesmo grupo, CREEi, sediada na Áustria, onde já foram realizados vários projetos de edifícios de escritórios em sistema de estrutura híbrida com madeira engenheirada.

Desenvolvimento do projeto

A HTB estabeleceu parceria com o escritório de arquitetura Kröner & Zanutto Arquitetos, com vasta experiência em BIM – uma exigência da estrutura em madeira engenheirada. “Desenvolvemos um projeto modular com fácil adequação ao terreno que, de preferência, deverá ter 2 mil m². Se a área for maior ou menor e em obediência ao potencial construtivo, serão criados ou retirados módulos. Todos os projetos complementares estão prontos e compatibilizados, e serão rapidamente adaptados às condições reais”, destaca.

A estrutura híbrida contempla a estrutura em madeira engenheirada, enquanto as áreas de elevadores, escadas e sanitários foram projetadas em sistema convencional de concreto, totalmente industrializado. A especificação dos vidros das fachadas adota critério de máximo isolamento térmico, de maneira a reduzir o uso de ar-condicionado. Diante da exigência da boa ventilação dos ambientes determinada pela pandemia do novo Coronavírus, o empreendimento deverá evitar a fachada cortina lacrada, destinando parte a caixilhos maxim-ar. A opção do projeto é pelo uso de brises, também de madeira.

“Decisões projetuais como essas poderão ser alteradas de acordo com a localização do terreno ou o desejo do cliente/investidor”, observa, comentando que toda a madeira ficará aparente, sem qualquer revestimento. No térreo, os pilares recuados ficam protegidos das intempéries, que escurece o material quando exposto. A madeira engenheirada será fornecida por uma das quatro empresas nacionais, já que a filosofia da HTB é fortalecer a cadeia produtiva brasileira.

Leia também:

Controle de produção é fundamental para desempenho da madeira laminada colada
Madeira laminada colada vence grandes vãos e permite estruturas curvas
Madeira de demolição confere estética e sustentabilidade a ambientes internos

Colaboração técnica


Adriana Nunes Machado  – É Engenharia Civil formada pela Universidade Mackenzie (1987), onde também concluiu Administração de Empresas (1990). Tem pós-graduação em Gestão de Custos e Planejamento Estratégico (2020) na Universidade Anhanguera Uniderp. E especializações em Project Management Professional – PMP (2007) pelo Project Management Institute – PMI; e em Strategic Sourcing na Imbrasc – Live University (2015). Ocupa a superintendência de Novos Negócios na HTB Engenharia.