Revisão da NBR 14718 detalha uso de gradis em ambientes com grande movimentação

Os espaçamentos já previstos serão mantidos e as alterações para as aplicações especiais ficarão focadas na altura, cargas a serem aplicadas e alguns requisitos adicionais

Publicado em: 02/04/2014

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Guarda-corpo para áreas públicas

Um guarda-corpo fora dos padrões motivou grave acidente no aeroporto do Galeão (RJ), nos primeiros dias de 2014: uma criança de três anos de idade caiu de uma altura de 7m, após atravessar o vão de 18,5cm de largura existente entre o gradil e o topo da escada rolante. O caso colocou novamente em evidência a necessidade de uma norma técnica que contemple os guarda-corpos instalados em locais com grande movimentação de público. “Após o acidente, o diretor técnico da ABNT, Eugênio de Simone, entrou em contato com a coordenação da CEE-191 - Comissão de Estudo Especial de Esquadrias, solicitando a revisão da ABNT NBR 14718 – Guarda-corpos para edificações", relata a engenheira Fabiola Rago, coordenadora da CEE-191.

A profissional explica que o principal motivo dessa revisão é o fato de que o atual escopo da norma exclui as áreas de uso coletivo, tais como shopping centers, museus, hospitais, cinemas, teatros, centros ecumênicos, indústrias, aeroportos, rodoviárias e estações de transporte, mirantes, ginásios de esportes, estádios de futebol, passarelas sobre vias de transporte, viadutos e pontes em geral. O pedido para rever a ABNT NBR 14718 foi prontamente atendido pela CEE-191, que organizou no dia 12 de fevereiro último a primeira reunião para tratar do tema.

Ao término, poderemos oferecer normas que atendam a diferentes aplicações de guarda-corpos, proporcionando segurança tanto aos usuários quanto às construtoras, que poderão verificar se o produto que pretendem utilizar em determinada obra atende os requisitos mínimos

Além de Eugênio de Simone, estiveram presentes Paulo Campos, superintendente da ABNT/CB-02, e Álvaro Almeida, analista técnico da ABNT/CB-02, CEE-191. No encontro seguinte, em 12 de março, os participantes da Comissão de Estudos Especiais iniciaram os trabalhos, definindo as diversas aplicações dos guarda-corpos a serem contempladas pela ABNT NBR 14718. A engenheira adianta que os espaçamentos já previstos na atual ABNT NBR 14718 serão mantidos e as alterações para as aplicações especiais ficarão focadas na altura, cargas a serem aplicadas e alguns requisitos adicionais.

Nos próximos encontros da CEE-191, serão elaborados os primeiros textos base, entre os quais estão: PN 191.000.01 - 003/1: Guarda-corpos para edificações – Parte 1 – Terminologia e classificação; PN 191.000.01-003/2: Guarda-corpos para edificações – Parte 2 – Requisitos para as diversas aplicações (aeroportos, terminais de transportes, instituições de ensino, hospitais, shoppings, estádios, ginásios); PN 191.000.01-003/3: Guarda-corpos para edificações – Parte 3 – Métodos de ensaio; PN 191.000.01-003/4: Guarda-corpos para edificações – Parte 4 – Instalação, Manutenção e Vida Útil de Projeto.

ENSAIOS

O setor já se mostra preocupado com a aplicação de guarda-corpos em áreas de grande movimento, tanto que no Instituto Tecnológico da Construção Civil (ITEC) já há procura para a realização de ensaios em produtos que serão instalados em escolas, shoppings centers, estádios de futebol e outros locais não previstos na atual norma. “Nesses casos, informamos aos interessados que a ABNT NBR 14718 não se aplica a tais ambientes. Muitos optam por realizar o ensaio com a norma atual, mesmo sabendo das restrições, pois assim terão ao menos uma avaliação de desempenho mínimo”, diz a engenheira Michele Gleice, gerente técnica do ITEC.

Com a revisão da ABNT NBR 14718, Michele acredita que deverá ser realizado um importante trabalho de pesquisa. “Ao término, poderemos oferecer normas que atendam a diferentes aplicações de guarda-corpos, proporcionando segurança tanto aos usuários quanto às construtoras, que poderão verificar se o produto que pretendem utilizar em determinada obra atende os requisitos mínimos”, ressalta.

“As reuniões ocorrerão sempre às quartas-feiras no período da tarde, na AFEAL – Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio -, conforme calendário publicado no site da associação. Todos os interessados podem e devem contribuir”, convida a engenheira Fabiola Rago.

Colaboraram para esta matéria

Fabiola Rago Beltrame – Engenheira Civil pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP) e mestre em Engenharia Civil pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP). Diretora de Qualidade da BELTRAME Engenharia S.S. Ltda, atua como consultora técnica da Associação de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio (AFEAL) no Programa Setorial da Qualidade (PSQ) de Esquadrias de Alumínio do Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQP-H) e, também, na Diretoria da Qualidade do Instituto Tecnológico da Construção Civil (ITEC), laboratório de ensaio para materiais de construção civil, como esquadrias, vidros, guarda-corpos e selantes. É membro das Comissões de Estudos do CB-37 (Vidro) e do CB-35 (Alumínio) e Coordenadora da Comissão de estudos de Esquadrias do CB-02 (Construção Civil). .
Michele Gleice – Engenheira Civil e mestranda na área de estruturas pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Experiência em laboratórios de ensaios desde 1997, quando iniciou suas atividades na L.A. Falcão Bauer e, posteriormente, na Testin – Tecnologia de Materiais. Há três anos atua como diretora técnica do ITEC, gerenciando a área técnica, implantação de procedimentos técnicos e operacionais, treinamento da equipe, acompanhamento de ensaios, elaboração de relatórios de ensaio, contatos comerciais e atendimento às obras em geral.