Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Saiba como aplicar rejunte em pisos e azulejos

Conheça os diferentes tipos de argamassas de rejuntamento e os cuidados na limpeza do substrato

Publicado em: 24/10/2016Atualizado em: 28/02/2023

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

rejuntamento-de-piso-ceramico
Aplicação da argamassa de rejuntamento com desempenadeira (Yunava1/ Shutterstock.com)

De acordo com a norma técnica NBR 13.753, publicada em 1996 pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), revestimentos cerâmicos devem ser assentados com rejunte, pasta que preenche as juntas das peças para vedar esses espaços e absorver as tensões decorrentes da movimentação das estruturas. “O rejuntamento tem como função proteger, embelezar e oferecer segurança estrutural para o sistema de revestimento” afirma Anderson Patricio Eziquiel, engenheiro de materiais e coordenador da garantia de qualidade da Eliane Revestimentos.

As argamassas para rejuntamento utilizadas nos revestimentos cerâmicos são comercializadas como misturas pré-dosadas (cujo preparo demanda a adição de água) ou prontas para o uso. “O material deve apresentar capacidade de aderência, baixa permeabilidade, estabilidade de cor, capacidade de absorver deformação, trabalhabilidade, durabilidade e fácil limpeza”, elenca Samuel Castor da Mata, engenheiro civil e professor da Fatec (Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo).

Veja também:
Tampa de Concreto
Cabo Bimetálico
Hydro 500

TIPOS DE MISTURA

A espessura do rejunte pode variar entre 1 mm e 15 mm, de acordo com o tamanho do revestimento cerâmico assentado, seu uso e local de aplicação.

O rejuntamento tem como função proteger, embelezar e oferecer segurança estrutural para o sistema de revestimento
Anderson Patricio Eziquiel

Para juntas de até 5 mm, recomenda-se o uso de rejuntes de acrílico e de epóxi. O primeiro já vem pronto para aplicação, enquanto o segundo é um bicomponente cujas unidades devem ser homogeneizadas separadamente e posteriormente misturadas. “Após misturar os componentes A e B, o rejuntamento deve ser feito no máximo em uma hora”, informa Rogério Alves Firmino, instrutor de formação profissional na área de construção civil.

Para juntas maiores, é recomendado o uso de rejunte cimentício, argamassa preparada com água limpa. “Em um recipiente estanque, limpo, protegido do sol, vento e chuva, misture o conteúdo de um ou mais sacos até obter uma consistência pastosa e firme, sem grumos secos. Deixe em repouso por 15 minutos e misture novamente antes do uso, com prazo máximo de 2h30 minutos” explica o instrutor.

Segundo Eziquiel, é importante seguir as recomendações do fabricante no preparo do rejuntamento, uma vez que as soluções podem variar de fornecedor para fornecedor. “Mas no geral, deve-se misturar o pó encontrado na embalagem do produto à quantia de água indicada até que não se tenha mais a formação de grãos ou bolhas e que todos os pigmentos de corante estejam homogeneizados”, recomenda o engenheiro de materiais.

O rendimento da mistura varia de acordo com o tamanho dos revestimentos e da espessura da junta. Para peças com 300 mm x 300 mm x 8 mm de dimensão e juntas de 5 mm, por exemplo, o rejuntamento consome entre 0,5 kg e 0,6 kg de mistura por metro quadrado.

Leia também:
Compra de pisos intertravados deve atender a NBR 9.781
Saiba comprar materiais para empreendimentos econômicos

FERRAMENTAS E APLICAÇÃO

O preparo do rejunte deve ser feito em um recipiente limpo com auxílio de colher de pedreiro e medidor de água. Para aplicação do material, pode ser utilizada uma bisnaga ou uma espátula, além de desempenadeira de borracha para espalhar a mistura ao longo da junta. “A aplicação sempre deverá ser feita manualmente”, afirma Lincoln Gustavo, assistente técnico na Bostik Fortaleza, Argamassas e Revestimentos.

Baixe nosso template de Diário de Obras e monitore todas as atividades do canteiro com mais facilidade!

A consistência do rejuntamento pode interferir na ferramenta mais indicada para aplicação da massa. “As opções incluem equipamentos pneumáticos, que permitem uma aplicação mais rápida, até espátulas plásticas ou desempenadeiras especiais”, explica Eziquiel.

Em condições climáticas desfavoráveis, como altas temperaturas e vento forte, considere molhar o rejuntamento duas vezes ao dia
Michelle Santos Rodrigues

Rejuntar o piso com rodo não é uma técnica indicada, pois a massa pode ficar com excesso de água e baixa resistência. “Nesse caso, é necessário que a consistência do rejunte seja mais fluida, o que não pode ser confundido com a colocação de uma quantidade maior de água na mistura”, adverte o engenheiro de materiais.

Após a aplicação, o ambiente deve ficar livre de tráfego e contato com água por 24 horas, sendo recomendado tempo de espera de 48 a 72 horas para iniciar a limpeza do substrato. A cura total da massa leva em torno de sete dias, principalmente em áreas externas e piscinas. “Em condições climáticas desfavoráveis, como altas temperaturas e vento forte, considere molhar o rejuntamento duas vezes ao dia”, acrescenta Michelle Santos Rodrigues, doutora em engenharia agrícola e professora da Fatec.

LIMPEZA DO SUBSTRATO

limpeza-do-rejunte
Remoção do excesso de argamassa de rejuntamento
(Lilyana Vynogradova/ Shutterstock.com)

Logo após a aplicação, recomenda-se utilizar uma espuma ou pano úmido para remover o excesso de argamassa de rejuntamento da superfície das peças cerâmicas. Assim, evita-se que, ao secar, o produto fique impregnado no substrato e torne mais difícil a limpeza do revestimento.

“Rejuntes de base cimentícia normalmente saem com bastante facilidade, pois formam um filme fino de pó que pode ser removido com água e detergente neutro. Porém, a limpeza após a aplicação de rejuntes acrílicos e de base epóxica deve ser feita conforme orientação do fabricante, pois apresentam características técnicas especificas e, consequentemente, produtos de limpeza específicos”, recomenda Eziquiel.

Pisos antiderrapantes também exigem cuidado específico para a limpeza. “O ideal é colocar fita crepe na borda do revestimento para que o rejunte não tenha contato com a peça”, aconselha o engenheiro civil Diogo Gonçalves, chefe de produto da linha de rejuntes quartzolit da Weber.

ESPAÇADORES 

Os espaçadores são acessórios que auxiliam o assentamento do revestimento, pois estabelecem uniformidade ao espaçamento das juntas, facilitando o alinhamento entre as peças. “Eles contribuem tanto na questão estética quanto para evitar o desplacamento, devido à dilatação das peças”, conta Firmino.

Os espaçadores estão disponíveis em modelos que ficam assentados na própria junta ou que são removidos após a aplicação do rejunte. “É preciso tomar cuidado para que a retirada não danifique a borda das placas cerâmicas, principalmente quando se tratar de um material com bordas retas, que são mais frágeis comparados a produtos com acabamento arrendondado”, orienta Eziquiel.

Colaboração técnica

 
Anderson Patricio Eziquiel – engenheiro de materiais e coordenador da garantia de qualidade da Eliane Revestimentos
 
Diogo Gonçalves – engenheiro civil e chefe de produto da linha de rejuntes quartzolit da Weber
 
Lincoln Gustavo – assistente técnico na Bostik Fortaleza, Argamassas e Revestimentos
 
Michelle Santos Rodrigues – doutora em engenharia agrícola na área de construções rurais e ambiência e tecnóloga em construção de edifícios
 
Rogério Alves Firmino – instrutor de formação profissional na área de construção civil instrutor de formação profissional na área de construção civil
 
Samuel Castor da Mata – engenheiro civil com MBA em gerenciamento de empreendimentos e tecnólogo em construção de edifícios