Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Saiba como assentar piso sobre piso e evitar quebra-quebra

Entenda onde é possível colocar piso sobre piso, qual piso pode ser colocado em cima do outro, vantagens e desvantagens, quanto tempo dura e tipo de argamassa

Publicado em: 18/10/2019Atualizado em: 02/06/2023

Texto: Juliana Nakamura

Aplicador passando argamassa no piso sobre pisoA aplicação do piso sobre piso deve ser antecedida de uma inspeção criteriosa do material existente, bem como do contrapiso (Foto: Luiz Guilherme)

Uma das técnicas mais consolidadas na construção civil é a de piso sobre piso. Embora necessite de mão de obra profissional, essa prática é bastante acessível para mudar a paginação de diferentes ambientes. Afinal, os revestimentos sofrem desgastes com o passar do tempo, como manchas, riscos e fissuras.

Nessa matéria, você ficará completamente por dentro dos principais aspectos que envolvem esse tipo de obra, tais como: vantagens, desvantagens, modelos de pisos, tipos de argamassas, vídeo de passo a passo de aplicação e outras dicas muito relevantes para um serviço de sucesso.

É possível colocar piso sobre piso?

É possível colocar piso sobre piso em reformas de cozinhas, banheiros, salas e outros cômodos que visam diminuir o tempo de obra e minimizar demolições e sujeiras. É, também, uma alternativa perfeita para quem busca custos mais competitivos em comparação a uma execução que parte do “zero”.

Também é viável fazer a instalação em áreas externas, como varandas e sacadas, e até mesmo em paredes, sabia disso? Em todos os casos, é certeza de que o resultado agradará demais, não apenas pelo visual alcançado, mas também por toda a praticidade.

Qual piso pode ser colocado em cima do outro?

O piso que pode ser colocado em cima do outro muda conforme o ambiente e a necessidade da obra. E alguns dos exemplos mais clássicos são esses aqui:

  • Piso de porcelanato
  • Piso vinílico
  • Laminado de madeira
  • Rochas
  • Piso de cimento queimado

Piso de porcelanato

O piso de porcelanato é uma boa pedida, pois encanta pelos diferentes visuais: acetinado, polido e esmaltado. Sem dizer na resistência, durabilidade e impermeabilidade. No entanto, esse modelo não pode ser instalado sobre madeira ou assoalho. Além disso, não permite ser retirado no futuro (a não ser quebrando as peças).

Clique aqui para assistir ao vídeo de como instalar porcelanato.

Piso vinílico

O piso vinílico é a opção mais prática para cobrir as cerâmicas. Nesse caso, a orientação é optar por um material com 5 mm de espessura para evitar que o rejunte da cerâmica fique marcado (os pisos menos espessos também podem ser instalados, mas isso deve ser feito após a regularização do contrapiso).

Laminado de madeira

O laminado de madeira também é uma alternativa recorrente para renovar os pisos. A recomendação, no entanto, é dar preferência à instalação sobre mantas (para correção de irregularidades) e por revestimento com sistema de encaixe macho-fêmea, que podem ser retirados posteriormente.

Rochas

As rochas garantem um visual bem sofisticado para vários ambientes. No entanto, sua aplicação sobre um piso existente demanda bastante cuidado. Mármores e granitos, por exemplo, são materiais bastante suscetíveis a riscos e trincas. Mesmo assim, vale a pena investir.

Piso de cimento queimado

O piso de cimento queimado é o “queridinho” de muitas pessoas e profissionais que buscam mudar o estilo de um determinado lugar. São visados, pois garantem resistência contra o desgaste e visual mais rústico, além de simples manutenção com o passar do tempo.

Qual a vantagem e desvantagem de colocar piso sobre piso

Assentar piso sobre piso tem suas vantagens. Algumas, inclusive, já foram citadas. Mas também possui algumas desvantagens. Portanto, se você ainda está se decidindo por lançar mão dessa técnica na sua obra, vale a pena verificar a tabela abaixo.

Vantagens
Desvantagens
Reforma mais rápida e econômica
Precisa de mão de obra profissional
Evita quebra-quebra
Recomendável nivelar o piso do outro ambiente
Não gera muita sujeira ou entulho
Dificuldade com a soleira da porta
Serve para vários ambientes
Argamassa utilizada é mais cara

Quanto tempo dura um piso sobre piso

Profissional usa martelo de borracha para assentar piso sobre pisoColocar piso sobre piso evita quebra-quebra, não gera sujeira ou entulho e garante uma reforma mais rápida e econômica (Foto: Luiz Guilherme)

Dizer quanto tempo dura um piso sobre piso é muito relativo. Por exemplo: se a obra utilizar materiais sem qualidade ou a instalação for inadequada, é evidente que o revestimento apresentará problemas em curto prazo. Assim, será necessário fazer trocas e reparos mais cedo que você imagina.

“Quando boas práticas não são cumpridas, problemas como o descolamento do piso e infiltrações podem ocorrer. Isso gera uma grande frustração para o usuário e é reflexo de um trabalho mal executado pela mão de obra”, detalha Danilo Delmaschio, proprietário da construtora O Empreiteiro.

Quando boas práticas não são cumpridas, problemas como o descolamento do piso e infiltrações podem ocorrer. Isso gera uma grande frustração para o usuário e é reflexo de um trabalho mal executado pela mão de obra
Danilo Delmaschio

Pode colocar piso sobre piso com argamassa?

A colagem do novo revestimento deverá ocorrer com argamassa colante específica para aplicação de piso sobre piso (argamassa AC III), especialmente quando a opção for por cerâmica, porcelanato ou rochas (como granito e ardósias). Para assegurar alto desempenho, é fundamental que a argamassa seja preparada conforme orientações do fabricante.

“Alterar a quantidade de água ou o tempo para utilização diminuirá a performance dos aditivos e colocará em risco a aderência do novo revestimento. Além disso, a argamassa deverá ser aplicada em dupla colagem, passando a desempenadeira dentada em sentidos contrários na superfície existente e nas placas do novo revestimento”, conta o engenheiro Jefferson de Oliveira, também da O Empreiteiro.

Um erro comum é não obedecer ao tempo de cura indicado pelo fabricante da argamassa. Outro equívoco é não considerar a influência do clima no processo de cura. Vale lembrar que a cura inadequada compromete o desempenho da argamassa, gerando patologias como o desplacamento das peças.

E tem mais: o tráfego de pessoas sobre o piso antes de concluída a cura pode fazer com que as peças se desloquem. Para evitar isso, o ideal é interditar a área por dois dias ou por pelo menos 24 horas.

O que é preciso para colocar piso sobre piso?

Por trás de uma aparente simplicidade, colocar piso sobre piso demanda uma série de cuidados. A seguir, você pode conhecer as principais etapas executivas e recomendações importantes para colocar um novo revestimento sobre um piso existente.

Para ver mais vídeos de passo, acesse nosso canal no YouTube.

1) Análise do substrato

A aplicação de um piso sobre outro deve ser antecedida de uma inspeção criteriosa do material existente, bem como do contrapiso. O objetivo disso é verificar se não há nenhum elemento solto ou estufado que possa comprometer a nova aplicação.

Para isso, a dica é bater com um martelo de borracha e identificar se há peças se desprendendo ou com som cavo. "Peças soltas deverão ser retiradas. Além disso, eventuais desnivelamentos poderão ser corrigidos com argamassa especial niveladora", diz Delmaschio.

Nesse cenário, vale ressaltar também que não é possível fazer a sobreposição na obra quando o piso existente no recinto é de madeira. Dessa forma, só há uma única saída: retirar o piso original para a colocação de um novo revestimento.

2) Limpeza prévia

Além de lavar bem e remover todo e qualquer resíduo, quando as superfícies forem muito lisas, recomenda-se fazer o lixamento com lixa de gramatura fina. Isso auxilia a aderência do novo revestimento
Jefferson de Oliveira

Antes de iniciar a instalação do novo piso é fundamental higienizar a superfície para eliminar toda sujidade orgânica e oleosa. Com isso, garante-se uma base ideal para receber a argamassa colante e o novo revestimento. E sempre que o piso remanescente for de ardósia ou com pedras envernizadas, será necessário remover a camada de resina impregnada.

“Além de lavar bem e remover todo e qualquer resíduo, recomenda-se fazer o lixamento correto do substrato com uma lixa de gramatura fina quando as superfícies forem muito lisas. Essas boas práticas auxiliam a aderência do novo revestimento”, complementa Oliveira.

3) Ajuste de alturas

Portas, janelas, tomadas e pontos de saída de água podem necessitar de ajustes em função da nova altura do revestimento. Para evitar o corte de portas, o ideal é optar por materiais mais esbeltos. No entanto, a especificação do novo piso deve ser criteriosa, uma vez que nem sempre o produto mais fino suportará as cargas de uso previstas.

4) Aplicação da argamassa no piso

Importante saber que a argamassa colante deve ser aplicada na superfície com o lado liso da desempenadeira. Uma dica é deixar a ferramenta inclinada em 60° e arrastá-la suavemente com os dentes, tocando-a na base para fazer os cordões no piso.


Detalhe dos cordões da argamassa colante no piso sobre pisoNo assentamento do piso sobre piso, a aplicação da argamassa deve ser em dupla colagem, passando a desempenadeira dentada em sentidos contrários na superfície existente e nas placas do novo revestimento (Foto: Luiz Guilherme)


5) Sobreposição

A placa de piso deve ser colocada de forma deslocada do ponto em que ela deverá ficar. Depois, basta empurrá-la cuidadosamente até esmagar os cordões. É necessário fazer a conferência no verso de algumas placas para ver se argamassa aderiu corretamente.

Em seguida, é necessário aplicar as demais placas encostadas, movimentando-as cuidadosamente de modo a esmagar os cordões. Não esqueça dos espaçadores. Você pode fazer os ajustes nas placas com o martelo de borracha. Aguarde 15 minutos para fazer a limpeza das peças, tirando o excesso da argamassa. Já o acabamento com o rejunte poderá ser feito após 72 horas.

Leia também: Veja como especificar e comprar pisos cerâmicos para áreas molhadas.

Colaboração técnica

Danilo Delmaschio - proprietário da O Empreiteiro, empresa especializada em reformas e construções residenciais e comerciais
 
Jefferson de Oliveira - engenheiro civil da O Empreiteiro, empresa especializada em reformas e construções residenciais e comerciais