Saiba como especificar a escavadeira ideal para sua obra

A máquina deve ser escolhida com base no tipo de trabalho, local, prazo e nas características do material a ser escavado, entre outros fatores

Publicado em: 18/05/2018Atualizado em: 16/05/2023

Texto: Redação PE


 Os modelos de escavadeiras mais utilizados na construção civil são os com 8, 12 ou 20 toneladas (Dmitry Kalinovsky/ Shutterstock)

Versátil, a escavadeira pode ser usada em diversas tarefas na construção civil e na mineração. Os modelos disponíveis vão de 3 a 70 toneladas, e a especificação depende do tipo de trabalho a ser realizado. O tamanho e a capacidade operacional devem ser selecionados com base na produtividade requerida. O trabalho em rocha, por exemplo, exige máquinas robustas e pesadas, com margem de segurança suficiente para suportar a severidade da operação. Por outro lado, serviços de acabamento e em locais confinados requerem escavadeiras de menor porte, mais fáceis de serem transportadas.

Veja escavadeiras para locação 

Na construção civil, os modelos mais utilizados atualmente são os de 8, 12 e 20 toneladas. Embora as escavadeiras de 20 toneladas estejam entre as mais vendidas, em obras com grande volume de movimentação de terra a preferência é por máquinas com grande capacidade operacional, na faixa de 34 a 50 toneladas. “Elas também podem ser aplicadas em pedreiras e mineração leve”, explica Maurício Briard, diretor da Loctrator. Nos contratos por produção, que costumam ter prazos apertados, também é viável utilizar modelos com mais de 20 toneladas.

Veja também: PC 200 Komatsu 2021 preço

Escavadeira hidráulica preço

OPÇÕES

Com poucas obras de grande porte no mercado, os locadores de equipamentos reduziram o tamanho da frota, dando preferência às máquinas de 8, 12 e 20 toneladas, aplicáveis em diversos tipos de tarefa. “As escavadeiras compactas, de 8 toneladas, normalmente são utilizadas em obras com restrição de altura de trabalho, espaços confinados e obras prediais. Também limpam terrenos; cavam fundações; fazem alicerces e canaletas; além de demolição mecanizada para bater choco e obras em túneis”, explica Briard.

A especificação da máquina envolve, inclusive, a quantidade de caminhões necessários com base no volume, no prazo e na distância de bota-fora
Maurício Briard

A capacidade e a potência são ditadas pelo prazo que a empresa tem para executar a obra e o tipo de material a ser escavado. Com base nesses parâmetros, é inviável colocar um equipamento de 20 toneladas para remover 10 metros cúbicos de material por dia, porque ele vai consumir cerca de 20 litros de óleo por hora, com elevado custo operacional. Nesse caso, uma escavadeira de 12 toneladas é mais indicada, pois consome 8 litros por hora.

Briard diz que, normalmente, o cliente solicita ao locador uma visita à obra para conhecer as necessidades, limitações e possíveis interferências do trabalho. “A especificação da máquina envolve, inclusive, a quantidade de caminhões necessários com base no volume, no prazo e na distância de bota-fora”, explica o diretor da Loctrator. No aspecto manutenção, ele explica que se a locação for com operador, normalmente a locadora assume o pacote completo, incluindo manutenções preventiva e corretiva. Mas se for sem operador, a responsabilidade pela manutenção, que inclui lubrificação e correção de alguns pormenores, fica por conta do cliente.

COMPRAR OU ALUGAR?

Se uma construtora vai realizar apenas uma obra de curta duração, não vale a pena investir um valor médio de R$ 400 mil numa escavadeira de 20 toneladas e, depois, deixá-la parada. Especialistas recomendam que, antes de comprar esse tipo de máquina, sejam considerados aspectos como tamanho e tempo de duração da obra, além da ociosidade, da depreciação, do custo operacional e do tempo necessário para retorno do investimento.

“Hoje os juros não estão baixos. Em três anos, uma máquina apresenta em torno de 50% de depreciação, gerando um custo médio de R$ 5 mil por mês. Se ela não tiver trabalho para gerar ganhos, o proprietário terá sérias dificuldades para mantê-la”, explica Briard, ressaltando que o comprador deve fazer todos esses cálculos antes de decidir se o investimento compensa. Hoje, o mercado está favorável ao aluguel, tendência mundial que possibilita que uma construtora ou empreiteira realize uma obra sem a necessidade de comprar equipamentos.

Quanto menor a escavadeira e maior o caminhão, mais lenta e improdutiva pode ficar a operação. Por isso, é necessário considerar o tamanho do caminhão a ser carregado
Paulo Oscar Auler Neto

Paulo Oscar Auler Neto, superintendente de equipamentos da Odebrecht, enfatiza que a escolha da escavadeira e dos caminhões deve ser bem calculada. “Quanto menor a escavadeira e maior o caminhão, mais lenta e improdutiva pode ficar a operaçãoo. Por isso, é necessário considerar o tamanho do caminhão a ser carregado”, assinala.

APLICAÇÃO

O uso de escavadeira deve ser avaliado com cuidado, pois se ela for utilizada inadequadamente e forçada em aplicações que extrapolem sua capacidade operacional, além de ficar suscetível a tombamento pode provocar problemas estruturais, como trincas nas lanças e no chassi e vazamento nos cilindros. “Ocorre também um elevado custo operacional em função do maior consumo de combustível, além de intervalos reduzidos de manutenção, fruto do maior índice de quebras e maior tempo de reparos”, explica Auler Neto.

Ele acrescenta que os fabricantes podem oferecer escavadeiras com alta tecnologia embarcada ou versões mais simples para serem aplicadas em obras que não exijam investimento adicional em sofisticação eletrônica. Para o futuro, ele acredita que as máquinas terão soluções com menor consumo de combustível, como modelos híbridos, com componentes mais duráveis e baixa emissão. “A tendência também envolve o uso de materiais mais leves e resistentes, como fibras sintéticas, cerâmicas, materiais compostos, plásticos e aços especiais”, arremata.

Veja também: Escavadeira compacta

PERFIL BRASILEIRO

  • Os locadores preferem trabalhar com equipamentos que pesam entre 13 e 25 toneladas, por serem mais baratos e versáteis. Os modelos desse porte são mais procurados do que os de 50 toneladas
  • Os equipamentos de menor porte são usados em serviços de apoio e em áreas urbanas, como obras de saneamento e abertura de valas. São facilmente revendidos no mercado de usados
  • As escavadeiras de 30 a 55 toneladas são aplicadas em trabalhos de produção elevada, com boa performance no solo e em rochas. Elas fazem parceria perfeita com caminhões basculantes de 16 m³, muito usados em grandes obras
  • As escavadeiras acima de 30 toneladas são amplamente utilizadas em grandes obras de barragem, terraplenagem, construção de estradas e infraestrutura. Sua comercialização no mercado de equipamentos usados não é muito fácil
  • Escavadeiras com mais de 55 toneladas são usadas apenas em obras de grande porte, como grandes hidrelétricas, minerações e pedreiras. Dificilmente são encontradas para locação, a não ser quando negociadas previamente e com garantia de uso por períodos superiores a 18 ou 24 meses. Essas máquinas são de difícil comercialização no mercado de usados, mesmo com poucas horas trabalhadas. Quando vendidas, os valores são muito baixos.

 

Leia também:

Cabine dos equipamentos deve garantir integridade física do operador 

 

COLABORAÇÃO TÉCNICA

Maurício Briard, diretor da Loctrator
Paulo Oscar Auler Neto, superintendente de equipamentos da Odebrecht