Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Saiba como usar e preservar os discos diamantados

Utilizados em serras manuais para fazer cortes rápidos e seguros, eles possuem liga metálica apropriada para cada tipo de material

Publicado em: 23/10/2017Atualizado em: 30/10/2023

Texto: Redação PE


Os discos diamantados cortam concreto, cerâmica, porcelanato, pedras, mármore e asfalto (Divulgação/ Bosch)

Os discos diamantados podem ser utilizados para cortar diferentes tipos de materiais, como concreto, revestimento cerâmico, porcelanato, pedras, mármore e asfalto. Os discos se diferenciam em função do tipo de serra e do material a ser cortado, já que existem variações na liga metálica na qual os diamantes sintéticos são impregnados.

Para serras manuais, são utilizados os discos segmentados, discos contínuos ou discos turbos. “Os discos diamantados devem ser utilizados para realizar cortes rápidos em locais onde não podem ocorrer rupturas ou quebras durante e após o trabalho, como na abertura de canaletas e em reformas”, especifica Luciano Fabrício, instrutor da divisão de Ferramentas Elétricas da Bosch América Latina. Ele completa: “Esse tipo de disco é fabricado em aço de qualidade, para garantir a resistência mecânica durante o uso. Na parte cortante, ele possui uma liga metálica com diamantes sintéticos apropriada ao material a ser cortado”.

Lauro Miguel, técnico de produto de discos diamantados da Norton, da Saint-Gobain Abrasivos, acrescenta que existem ainda os discos para concreto, que são adequados para aberturas de juntas de dilatação, reparos em estradas e obras rodoviárias. “Eles são apropriados para cortar concreto reforçado, concreto curado, guias, tubos, vigas, colunas e lajes de concreto e blocos”, complementa.

TIPOS DE USO

Os discos diamantados podem ser usados para corte seco e úmido. Essa característica deve ser averiguada na identificação de cada disco antes da compra, já que um disco indicado para corte úmido não terá bom rendimento se utilizado a seco. “Além disso, é importante prestar atenção às indicações da ferramenta onde o disco será utilizado, pois algumas serras têm restrições para trabalhos a úmido”, explica Luciano, da Bosch.

O especialista indica que o corte úmido costuma ser a melhor opção, desde que a serra possibilite esse tipo de uso – ele preserva a vida útil do disco e reduz a emissão de pó durante o corte do material. Lauro Miguel, da Norton, também recomenda a utilização do corte úmido e calcula que, dessa forma, o rendimento do disco seja cerca de 30% superior.

Além da aplicação seca ou úmida, outros fatores podem impactar na vida útil e no desempenho do disco. “Tudo depende dos tipos de concreto, resinas, vergalhões, velocidade e profundidade do corte e das tantas variáveis existentes nos trabalhos”, pondera Miguel, lembrando ainda de outro fator que pode ser decisivo: “A vida útil aproximada de um disco tipo standard gira em torno de 40 m², enquanto a de um disco premium fica em cerca de 80 m²”, pondera.

CONSERVAÇÃO

Para o usuário preservar a qualidade dos discos diamantados, Miguel recomenda, ainda, que todo o trabalho de corte seja feito por etapas. “Por exemplo, quando for necessário fazer um corte de 10 cm de profundidade, este deve ser executado de 5 cm em 5 cm. Essa é uma forma de tornar o trabalho ágil, melhorar o rendimento do disco e preservar a vida útil da serra, além de proporcionar conforto ao operador”, explica.

Ele alerta que a máquina nunca deve ser transportada com o disco diamantado montado, sob o risco de os componentes se danificarem durante o transporte. “Se apresentar trincas, o disco diamantado deve ser substituído”, adverte.

É importante prestar atenção às indicações da ferramenta onde o disco será utilizado, pois algumas serras têm restrições para trabalhos a úmido
Luciano Fabrício, da Bosch

Fabrício, da Bosch, diz que a segurança do usuário também deve ser considerada, por isso é importante realizar cortes em velocidade adequada ao produto, respeitando o tamanho do acessório ou da ferramenta. “Ao fazer o corte, o operador deve afastar a serra para longe do corpo, nunca puxando o equipamento para onde está posicionado”, orienta.

FICHA TÉCNICA

Discos segmentados

  • Características: os segmentos ajudam a compensar o calor durante o trabalho e esfriam a disco, proporcionando maior durabilidade e menor custo por corte linear.
  • Usos indicados: corte de materiais duros e abrasivos, como concreto reforçado, concreto curado, guias, tubos, vigas, colunas e lajes de concreto, blocos refratários, tijolos de fachada, bloquetes de concreto, blocos de concreto decorativo, pedras naturais, pedra calcária e arenito.

Discos contínuos

  • Características: proporcionam um corte mais suave e limpo, principalmente em cerâmicas e azulejos.
  • Usos indicados: materiais duros e macios, todos os tipos de azulejos, porcelanatos duros e macios, cerâmicas e mármores.

Discos turbo

  • Características: combinação do modelo segmentado com o contínuo. Possuem ranhuras diagonais que deixam o ar esfriar o disco, com bom rendimento, corte rápido e suave.
  • Usos indicados: materiais duros e macios, materiais de construção, azulejos, ladrilhos, concretos, granito e mármore.

COLABORAÇÃO

Luciano Fabrício, instrutor da divisão de Ferramentas Elétricas da Bosch América Latina

Lauro Miguel, técnico de produto de discos diamantados da Norton – Saint-Gobain Abrasivos