Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Saiba escolher o socador pneumático adequado para a sua obra

Com aplicação variada na construção civil e na indústria, equipamento associa a leveza à profundidade de impacto, deixando a areia bem compactada e sem falhas

Publicado em: 02/04/2018

Texto: Redação PE


O socador pneumático tem frequência de até 1.200 impactos por minuto (Divulgação/ SP Log)

Os socadores pneumáticos são equipamentos portáteis, utilizados para compactar areia, pedra ou saibro em diversos trabalhos na construção civil e na indústria. Entre suas aplicações, destaca-se a compactação de material no entorno de postes, mourões, construção de parede taipa de pilão, compactação de pisos antes da concretagem e onde houver necessidade de areia bem compactada e sem falhas. Esse equipamento possui frequência de até 1.200 impactos por minuto (IPM) e seu interior é similar ao cilindro de automóvel.

Na indústria de papel e celulose, os socadores pneumáticos são utilizados nos serviços de manutenção de caldeiras que entopem devido à madeira utilizada no processo de produção de papel. A base dessas caldeiras precisa ser refeita e compactada com equipamentos leves, sem força para danificar a tubulação de gás instalada embaixo do piso e que aquece a caldeira.

“Se for utilizado compactador de solo tipo sapo nesse trabalho, o risco de quebrar esses canos é alto. A solução é usar socador pneumático adaptado com soca de borracha”, exemplifica Moisés da Silva Santos, vendedor técnico operacional da BS Pneumática. O equipamento possui também uma versão para trabalhos em bancada, indicada para compactar areia de fundição em caixas de modelagem, blocos refratários, material em cadinhos e fornos pequenos.

DIMENSIONAMENTO

Para a especificação de um socador pneumático, é preciso considerar vários fatores, a começar pelo tamanho da área a ser compactada e o tamanho da sapata. Na sequência, é necessário saber a profundidade ou distância entre o material a ser compactado e o operador, informações que vão determinar o comprimento do cabo do socador e a intensidade da compactação do material. Esses detalhes são essenciais para estabelecer a força de compactação e o porte do equipamento.

“Por ser pneumático e não depender de energia elétrica para funcionar, esse equipamento tem custo mais baixo em comparação com os socadores elétricos”, observa Moisés. “A manutenção é barata nos modelos pneumáticos, porque eles não esquentam nem entram em curto-circuito. Se perderem força de operação, devem passar por ajustes na estrutura e no distribuidor de ar comprimido”, diz.

SOCADOR X COMPACTADOR SAPO

Muitas pessoas ficam na dúvida se devem utilizar um compactador de solos tipo sapo, que é mais pesado e com sapata mais larga que a de um socador pneumático. “Depende da geometria da área a ser compactada”, esclarece Rogerio Haddad, gerente comercial da Reitz. “Um buraco com 1 metro de diâmetro e um poste ao centro é impossível de ser compactado com um compactador tipo sapo, devido às suas dimensões. Ou é utilizado um socador pneumático ou um pilão manual”, exemplifica.

“De igual forma, na construção de parede taipa de pilão, onde o saibro é compactado entre duas anteparas com distância entre 25 e 40 centímetros, somente esses equipamentos podem ser usados para executar a tarefa, por terem leveza e profundidade”, complementa Haddad. Além disso, o compactador sapo tem uma sapata quadrada, que dificulta o uso em locais muito estreitos, como em cantos de fornos cilíndricos.

O único inconveniente na utilização do socador pneumático é, segundo Moisés, da BS Pneumática, a necessidade de utilizar mangueiras para transportar o ar do distribuidor até o equipamento, além do uso indispensável de um compressor de ar comprimido. “Para algumas pessoas, esses dispositivos representam uma desvantagem no uso desse equipamento. Mas quem opta por socadores elétricos terá outros inconvenientes, como necessidade de fiação para condução de energia e disponibilidade de corrente elétrica, seja via rede convencional ou motor gerador”, compara. Num compressor de ar de alta capacidade, podem ser instalados de 15 a 20 socadores pneumáticos, proporcionando baixo custo de consumo.

MANUTENÇÃO

Os fornecedores recomendam o uso de um sistema único de lubrificação centralizada para o conjunto de socadores pneumáticos instalado no compressor de ar. Esse sistema é automatizado, no qual o lubrificador injeta a quantidade de lubrificante de forma dosada e temporizada, de acordo com a necessidade de cada um dos socadores. “É uma forma de esses equipamentos ficarem lubrificados na medida certa, sem travar nem perder o rendimento”, diz Moisés.

Em relação à manutenção, Rogerio Haddad, da Reitz, acrescenta que o ar comprimido do compressor deve ser filtrado e lubrificado com a pressão regulada entre 6 e 7bar. “Após a utilização, o socador deve ser limpo com desengripante para evitar oxidação”, orienta. A operação de socadores pneumáticos não requer cursos específicos, já que os fornecedores ministram treinamento e orientação de manuseio durante as entregas técnicas.

CAPACIDADES

Frequência de impacto (IPM)

Diâmetro da soca

Peso

Consumo de ar

1.000

75mm

6kg

12 l/s

720

91mm

11kg

10,5 l/s

 

Para bancada


Frequência de impacto (IPM)

Diâmetro da soca

Peso

Consumo de ar

1.200

56mm

3kg

7 l/s

1.000

75mm

4,6kg

12 l/s

 

COLABORAÇÃO TÉCNICA:

Moisés da Silva Santos, vendedor técnico operacional da BS Pneumática
Rogerio Haddad, gerente comercial da Reitz