Telhas de ardósia são opção para quem busca cobertura durável e natural

Impermeável e de baixa manutenção, material requer estrutura de apoio reforçada em função do peso das peças

Publicado em: 06/09/2022

Texto: Juliana Nakamura

foto de um telhado de ardósia
(Foto: Bilanol/Shutterstock)

As telhas de ardósia consistem em uma solução de cobertura reconhecida por apresentar longa vida útil e exigir pouca manutenção. Com tonalidades escuras e sóbrias, as peças têm uma proteção natural contra fungos e são resistentes ao fogo. Além de todas essas propriedades técnicas, os telhados de ardósia estão associados à sofisticação, com presença marcante em construções históricas e em palácios europeus, especialmente em países como França, Alemanha e Inglaterra. 

O que são as telhas de ardósia?

A ardósia é um tipo de rocha metamórfica encontrada em tons de cinza e preto e, também, em tonalidades verdes, vinho e ferrugem. Esse material é bastante aproveitado no Brasil como revestimento para pisos. Nesses casos, as placas de ardósia, extraídas principalmente de jazidas em Minas Gerais, oferecem uma alternativa mais econômica aos granitos.

Após a extração da pedra, as telhas são produzidas de modo artesanal por processos de talha, sem necessitar de fornos ou da adição de componentes químicos. Isso confere ao material um apelo sustentável, seja pela elevada durabilidade do produto, que pode passar de cem anos, seja pela baixa geração de poluentes e de resíduos para sua fabricação.

Telhado de ardósia: principais vantagens e limitações

Em comparação às aplicações em pisos e em paredes, o uso de ardósia na produção de telhas é bastante tímido no Brasil. Isso se deve, principalmente, ao fato de o telhado com essa matéria-prima ser um dos mais caros e mais difíceis de serem executados, exigindo mão de obra especializada.

Por ser uma rocha, a ardósia produz um telhado com acabamento natural, bastante maciço e altamente resistente ao vento, capaz de fornecer isolamento acústico de alta qualidade. Contudo, as peças são pesadas, passando de 40 kg/m². Vale lembrar que, telhas mais pesadas exigem estrutura de apoio mais robusta para suportar a cobertura. Isso, consequentemente, impacta o custo e o tem

Outra particularidade das telhas de ardósia é a exigência de elevado grau de inclinação, geralmente acima de 40°. Portanto, esse tipo de telha não é uma opção quando se buscam telhados mais planos.

De acordo com Alexandre Guimarães, titular do escritório E4 Arquitetura, de modo geral, os telhados de ardósia são contraindicados para regiões quentes justamente por serem muito inclinados. “Ao aumentar a superfície com a inclinação, a pedra esquenta e irradia calor para o interior da construção”, explica o engenheiro, pontuando que em função da alta inclinação, os telhados de ardósia são apropriados para localidades expostas à neve.

Ainda com relação ao conforto térmico, há de se considerar, ainda, que por terem tons escuros, as ardósias retêm mais calor em comparação a outros sistemas de cobertura mais claros.

Como fixar telhas de ardósia?

As telhas de ardósia são fornecidas prontas para instalação com furos e rebaixos para fixação com pregos de cobre ou de aço inoxidável. As peças são instaladas por sobreposição sobre a estrutura de madeira bem dimensionada e sobre uma manta de subcobertura anti-vapor. 

As telhas são instaladas em fileiras horizontais da parte inferior da encosta até o cume. No caso da ardósia, são aspectos desafiadores na hora da execução o grau de inclinação, que acaba gerando telhados bastante altos, e a maior densidade de estrutura de apoio à cobertura. Por isso, é fundamental contar com uma equipe de montagem que tenha conhecimento sobre esse tipo de cobertura, assim como o uso rigoroso de equipamentos de proteção individual e coletiva.

Leia também:
Veja dicas e recomendações para especificar revestimentos de ardósia
Rochas ornamentais demandam conservação e limpeza
Escolha da quantidade de águas do telhado é arquitetônica

Colaboração técnica

Alexandre Guimarães – Engenheiro e arquiteto formado pela Universidade Federal de Minas Gerais, pós-graduado em representação dos espaços arquitetônicos e em engenharia econômica. É titular do E4 Arquitetura, escritório que realiza projetos de arquitetura e decoração para casas, apartamentos, lojas, prédios, feiras e eventos.