Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Torre de iluminação móvel melhora condições de trabalho em obras noturnas

Montado sobre rodas, o equipamento pode ser locomovido para locais onde é inviável a instalação de rede elétrica convencional, aumentando a segurança dos trabalhadores

Publicado em: 02/04/2018

Texto: Redação PE


As lâmpadas mais indicadas para uma torre de iluminação móvel possuem potência de 1000 watts (Divulgação/Atlas Copco)

A torre de iluminação móvel supre a necessidade de luz elétrica em obras noturnas, escavações de túneis e outras frentes de trabalho. Ela dá segurança para a realização das operações com as máquinas em terraplenagem, fundação, bombeamento de concreto, pavimentação, escavações ou carregamentos em áreas onde não é viável a instalação de rede elétrica convencional e adaptação de refletores.

A durabilidade das lâmpadas depende de vários fatores, como vibração, inclinação de operação e oscilações de tensão. Isso torna difícil estabelecer um prazo de vida útil
Marcelo Teixeira

Por ser montada sobre rodas e locomovida com facilidade, a torre de iluminação é adequada quando o projeto da obra prevê avanço de etapas consecutivas e necessidade de seguir com a iluminação nas frentes de serviço. Além de iluminar as áreas de trabalho ou instalações em obras, ela geralmente possui potência adicional de 2kVA para ser usada em outras finalidades, como geração de energia para outros equipamentos no período em que não houver necessidade de funcionamento das luminárias.

A segurança no uso do equipamento é garantida por um disjuntor geral e por disjuntores individualizados para cada luminária. A torre também possui patolas nas quatro laterais para proporcionar estabilidade ao conjunto. E para oferecer comodidade e segurança ao operador, a elevação das luminárias é feita por meio de uma catraca com sistema de trava e cabos de aço. Ao ser utilizada durante a execução dos serviços, a torre aumenta a visibilidade dos operários e inibe a entrada de pessoas estranhas no local.

LÂMPADAS

As lâmpadas mais indicadas para uma torre de iluminação móvel são fabricadas em metal haloide, vapor de sódio de alta pressão, com 1000 watts de potência e intensidade 5,4 lux, o que equivale a 6785 lúmens. “A durabilidade das lâmpadas depende de vários fatores, como vibração, inclinação de operação e oscilações de tensão. Isso torna difícil estabelecer um prazo de vida útil”, explica Marcelo Teixeira, diretor de operações da empresa A Geradora. Contudo, ele estima que elas podem durar em torno de 800 horas.

Geralmente, as instruções disponíveis no painel possibilitam que o operador coloque esse equipamento para funcionar sem dificuldades
Renato Albuquerque

O consumo da torre, que opera com motor diesel, chega a aproximadamente 1 litro por hora. “O equipamento possui um gerador de 6kVA que alimenta os quatro refletores, montado sobre rodas e com reboque para movimentação na frente de serviço. Esses refletores podem ser direcionados para diferentes ângulos, de forma proporcional à maior abrangência possível do foco da iluminação”, descreve Teixeira.

Com peso em torno de 890 quilos, a torre de iluminação móvel pode ser operada de maneira simples e não requer mão de obra qualificada. “Geralmente, as instruções disponíveis no painel possibilitam que o operador coloque esse equipamento para funcionar sem dificuldades”, acrescenta Renato Albuquerque, especialista em equipamentos do Grupo Orguel. Basta que a pessoa tenha conhecimento básico de como ele funciona, respeite as normas de segurança e siga rigorosamente o passo a passo de instalação.

USO E MANUTENÇÃO

A torre de iluminação possui um motor gerador de energia incorporado a sua estrutura, necessitando apenas de diesel para funcionar. “As manutenções preventivas normalmente são feitas a cada 250 horas, de acordo com o horímetro, e envolvem troca de óleo e de filtros, bem como limpeza do filtro de ar”, recomenda Albuquerque, do Grupo Orguel.

Mas deve-se fazer a verificação diária de uma série de itens, como limpeza e nível de água do radiador e do óleo do cárter, e inspeção do nível do combustível do tanque, pois sua falta pode facilitar a entrada de ar no motor. Marcelo Teixeira reforça que o óleo combustível utilizado deve ser de boa qualidade, isento de impurezas e água, sempre armazenado em recipiente limpo, protegido da chuva e da poeira.

“As pessoas precisam ficar atentas se há vazamento de óleo ou água e se há emissão de ruídos no motor. Em caso de anormalidade, o equipamento deve ter seu uso interrompido e enviado para assistência técnica”, recomenda Teixeira.

As torres de iluminação móveis não podem ser movimentadas com o mastro levantado nem posicionadas embaixo de linhas elétricas. O mastro também não deve ser erguido enquanto o motor estiver funcionando.

DICAS DE OPERAÇÃO

  • Para obter maior cobertura de luz, posicione a torre no nível da superfície ou em um ponto superior à área iluminada.
  • Deixe as luzes esfriarem por cerca de 10 ou 15 minutos, antes de movimentar o reboque. Se a locomoção for feita enquanto elas estiverem quentes, as lâmpadas poderão quebrar.
  • Os holofotes de metal precisam de um período de aquecimento de 5 a 15 minutos, antes de alcançarem a potência total. Se eles forem desligados, será preciso um período de resfriamento de 10 minutos antes de religá-los.

 

 

COLABORAÇÃO TÉCNICA:

Marcelo Teixeira, diretor de operações da empresa A Geradora
Renato Albuquerque, especialista em equipamentos do Grupo Orguel