Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Veja como especificar e comprar pisos cerâmicos para áreas molhadas

Características como coeficiente de atrito e resistência à ação da umidade e à abrasão devem ser levadas em conta na hora de escolher o piso ideal para o seu projeto

Publicado em: 25/04/2018Atualizado em: 04/08/2021

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

 Pisos cerâmicos são ideais para áreas molhadas (crédito: shutterstock.com / yampi)

Amplamente utilizados na construção civil, os pisos cerâmicos são vistos como bons, baratos e altamente duráveis – características que já os colocam como forte opção de revestimento para qualquer tipo de ambiente. Quando falamos de áreas molhadas, eles ganham ainda mais destaque por atenderem a requisitos técnicos para esse tipo de aplicação.

Em locais internos sujeitos ao contato com água, a norma brasileira recomenda coeficiente de atrito igual ou maior que 0,4. Em áreas molhadas externas com rampa, escolha cerâmicas com coeficiente de atrito superior a 0,8
Érica Salguero

Fornecidos por diversos fabricantes no mercado, os pisos cerâmicos têm diversas opções de acabamento que possibilitam maior liberdade criativa ao projetista. Outra vantagem está relacionada à manutenção: basta limpar com pano úmido e sabão para que o revestimento pareça novo.

Além disso, é resistente a fungos, bactérias e bolor e mantém sua temperatura amena em dias quentes e secos. “Contudo, em climas mais frios pode tornar-se gelado quando em contato com os pés”, pondera Érica Salguero, titular e fundadora do escritório de mesmo nome.

Outra desvantagem é que, por ser frágil, exige maior cuidado com o transporte, armazenamento e aplicação, podendo gerar desperdícios advindos de quebras durante a execução.

Confira, no AECweb, pisos e revestimentos de cerâmica esmaltada

Áreas molhadas 

A NBR 15575-3 divide as áreas de aplicação em três: secas, molháveis e molhadas. Classifica-se como áreas molhadas: • Áreas da edificação cuja condição de uso e exposição poderá resultar na formação de lâmina de água (por exemplo: banheiro com chuveiro, área de serviço e áreas descobertas).

CARACTERÍSTICAS DO REVESTIMENTO

Não existe uma fórmula mágica para definir o piso cerâmico ideal para áreas molhadas. “A melhor escolha será aquela que atender às questões econômicas e de desempenho, como resistência ao desgaste provocado pelo uso, estanqueidade à umidade e coeficiente de atrito”, explica Sergio Domingues, diretor-técnico da Tarjab. Para isso, os pisos cerâmicos para áreas molhadas devem atender à alguns critérios:

É importante garantir que o piso instalado esteja com caimento adequado em direção ao escoamento, de forma a evitar o acúmulo de água no piso
Sérgio Domingues

Baixe aqui um mapa comparativo de propostas para facilitar seu processo de cotação.

Coeficiente de atrito
Também conhecido como resistência ao escorregamento, o coeficiente de atrito é o índice que determina o nível de segurança de uma superfície (plana, em aclive ou declive), especialmente na presença de água, óleo ou outra substância. Ou seja, não existem pisos antiderrapantes e, sim, pisos com maior ou menor coeficiente de atrito.

Para aplicação em áreas molhadas, é ideal que o piso tenha coeficiente de atrito superior à 0,4. “Em locais internos sujeitos ao contato com água, a norma brasileira recomenda coeficiente de atrito igual ou maior que 0,4. Em áreas molhadas externas com rampa, escolha cerâmicas com coeficiente de atrito superior a 0,8”, aconselha Salguero.

Faça a qualificação de fornecedores com mais facilidade usando nossa Matriz de Qualificação gratuita. Baixe já!

Resistentes à ação da umidade
É imprescindível que os pisos cerâmicos usados em áreas molhadas apresentem baixo índice de absorção de água e baixa expansão por umidade. Para isso, é importante atentar-se à porosidade e à permeabilidade da peça. O índice de absorção de água é mostrado em porcentagem e é dividido nas seguintes classes:

Grupo
Código
Absorção de água (%)
Grupo IIaa ≤ 0,5
Ib0,5 < a ≤ 3
Grupo IIIIa3 < a ≤ 6
IIb6 < a ≤ 10
Grupo IIIIIIa > 10

Resistência à abrasão
A resistência à abrasão é o que determina qual tipo de tráfego o piso consegue suportar. A classificação é feita em seis grupos.

PEIResistência à abrasãoUso recomendado
0Baixíssimanão indicado para pisos
1Baixaambientes onde se caminha com pés descalços ou chinelos
2Médiaambientes residenciais sem portas para ambientes externos
3Média altaambientes residenciais com portas para ambientes externos
4Altaambientes residenciais com tráfego intenso
5Altíssima e sem encardidoambientes comerciais, públicos e industriais com alto tráfego

ESTANQUEIDADE

O substrato deve estar totalmente impermeabilizado antes da aplicação do piso cerâmico, pois possíveis infiltrações podem afetar a segurança do sistema como um todo. “Também é importante garantir que o piso instalado esteja com caimento adequado em direção ao escoamento, de forma a evitar o acúmulo de água no piso”, reforça Domingues.

Leia também:

Revestimentos para áreas molhadas devem ser resistentes à umidade e ao mofo

Engenheiro deve se especializar para ser gestor de projetos

Colaboração técnica

Érica Salguero  – formada em 2000 pela Universidade de Guarulhos (2000), tem especialização em Design de Interiores pela Academia de Arte. Iniciou sua carreira profissional abrindo o escritório que leva seu nome, há 15 anos.
Sérgio Domingues  – diretor técnico da Construtora Tarjab, Sérgio Domingues é engenheiro civil, com pós gradução no MBA-TGP da Escola Politécnica da USP em Tecnologia na Gestão de Produção de Edifícios; Pós graduação no MBA Executivo da Indústria da Construção Civil pela FGV-Fundação Getúlio Vargas; e atualmente cursa o Mestrado Profissional em Inovação na Construção Civil CONSTRUINOVA da Escola Politécnica da USP. Além disso, é membro do CTQ - Comitê de Tecnologia e Qualidade do SindusconSP; Coordenador da CEE215 Comissão Especial de Estudos para revisão das Normas de Piscinas; Membro do Comitê Executivo do C3 Clube da Construção Civil e Membro do Conselho Consultivo da Unidade EMBRAPII Poli USP de Materiais para Construção Ecoeficiente - MCE.