5.266 moradias serão entregues em Mogi

Texto: Redação AECweb

Programa habitacional conta com 34 empreendimentos em Mogi das Cruzes para diversas faixas de renda

19 de janeiro de 2011 - De acordo com o cronograma da Coordenadoria de Habitação da Prefeitura de Mogi, os 280 apartamentos dos conjuntos Orquídea e Azaléia, na Vila Melchizedec, localizados na avenida Perimetral, serão os primeiros a serem entregues pelo programa do governo federal "Minha Casa Minha Vida", em Mogi das Cruzes. A inauguração está prevista para março e as unidades beneficiarão famílias com renda de um a três salários mínimos. A Prefeitura estima inaugurar somente este ano, 5.366 moradias que estão em construção por meio do programa federal.

Para junho, está prevista a entrega de 2.060 apartamentos nas ruas Francisco Marialva, Augusto Regueiro, alameda Santo ngelo e José Pereira e na Vila de Jundiapeba. Em agosto, estão na lista para serem inaugurados 380 apartamentos na rua Brigadeiro Newton Braga, no Jardim Layr e, em setembro, 280 unidades na rua Ricieri Marcatto, em César de Souza.

Também em Jundiapeba deverão ser entregues 200 moradias na avenida Lourenço de Souza Franco, para famílias que possuem renda entre quatro e seis salários mínimos, ainda sem data marcada.

A Coordenadoria de Habitação também planeja entregar 2.166 unidades, em construção, para famílias com renda entre sete e dez salários mínimos, nas avenidas João XXIII, no Socorro, Shozo Sakai, em Brás Cubas, Francisco Ribeiro Nogueira, Caputera, na estrada Rikio Suenaga, na rua São Francisco, em Brás Cubas, no Mogi Moderno e no Parque Santana. Na rua Cristo Operário, na Vila Brasileira, e no Parque Morumbi, as unidades são casas.

A Prefeitura finalizou em dezembro a primeira etapa do processo de seleção das pessoas que deverão morar nos 280 apartamentos que serão entregues em março. Das 600 famílias convocadas, 382 foram consideradas aptas e, portanto, terão prioridade no processo seletivo da Caixa Econômica Federal. De acordo com a coordenadora de Habitação, Dalciani Felizardo, a legislação determina que 50% de cada empreendimento deve ser destinado para famílias que moram em áreas de risco, 3% para portadores de deficiências e 3% a idosos.

No total, a cidade conta com 34 empreendimentos, ou seja, 10.468 moradias sendo construídas por meio do "Minha Casa Minha Vida", sendo 3.880 para famílias de baixa renda (de zero a três salários mínimos), 1.400 para quem recebe de quatro a seis salários mínimos e 5.206 para aqueles que ganham entre R$ 3.605 até R$ 5.150. Segundo a Prefeitura, as obras estão no prazo e são acompanhadas por engenheiros da Caixa Federal, financiadora dos empreendimentos.

Em 2012

O levantamento feito pela Prefeitura mostra que algumas obras serão entregues no ano que vem, como é o caso das 100 unidades do Conjunto Jefferson, em César de Souza; 240 apartamentos na Vila Nova Aparecida; 400 moradias no Conjunto Bosque e 140 apartamentos na Vila Aparecida. A Prefeitura doou o terreno para construção destes empreendimentos.

Estão em análise na Caixa mais 1.200 casas na rua Antônio de Almeida, no Mogilar, para famílias com renda de quatro a seis salários mínimos e 1.508 unidades no mesmo endereço destinadas às famílias com nível salarial superior. Além destes, a Caixa estuda, ainda, financiar a construção de 1.136 moradias na avenida Francisco Rodrigues Filho, no Mogilar, e 396 apartamentos na rua Adolfo Lutz, em Cézar de Souza.

Fonte: Mogi News - SP