ABRAMAT discute com Governo Federal medidas para alavancar crescimento do setor

Texto: Redação AECweb

Presidente da associação reforçou o coro das entidades quanto às possíveis ações do governo

26 de março de 2012 - A última semana foi de muita importância para a Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (ABRAMAT). Em véspera da terceira maior feira do mundo no setor de construção civil, a FEICON BATIMAT, a associação, em conjunto com mais seis entidades, se reuniu com o secretário de Política Econômica do Governo Federal, Márcio Holland de Brito. Na pauta, importantes assuntos do setor: isenção do IPI, importações e desoneração da folha.

O presidente da ABRAMAT, Walter Cover, reforçou o coro das entidades quanto às possíveis ações do governo. Um dos principais objetivos foi de manter a competitividade do setor para que os investimentos no Brasil se mantenham fortes. “As empresas do setor são competitivas em custo no chão de fábrica, mas esse componente se perde por causa das altas taxas de juros, dos impostos e do câmbio supervalorizado. Esses fatores geram queda de rentabilidade”, comenta Cover.

Além de essa reunião reforçar conversas sobre a desoneração da folha de pagamentos para os setores que empregam mão de obra intensiva, a discussão pendeu para o assunto que se manteve em destaque nos últimos anos, a desoneração total do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Como argumento, as entidades apontam que a desoneração fiscal estaria associada ao aumento de consumo de produtos, alimentando assim a arrecadação de impostos e trazendo mais empresas para a formalidade fiscal. “Com a desoneração do IPI para alguns materiais em 2010, a arrecadação fiscal do setor cresceu 22,5% em relação a 2009” finaliza Cover. Com base nisso, o pleito é pela desoneração de todos os produtos do setor, e consequentemente, maiores incentivos para investimentos.

Fonte: Abramat