Ações locatícias continuam em queda em São Paulo

Texto: Redação AECweb

Levantamento realizado pelo Secovi-SP no Fórum paulistano aponta 1.757 processos registrados em maio, 2,5% menos que em idêntico mês do ano passado

24 de junho de 2011 - Levantamento feito pelo Secovi-SP (Sindicato da Habitação) junto ao Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo mostra que o número de ações locatícias caiu 2,5% em maio deste ano na capital paulista, frente ao mesmo mês de 2010. Foram 1.757 casos, contra os 1.802 de idêntico período do ano passado. “Trata-se do menor numero para um mês de maio desde o início do levantamento, em 1993”, informa Roberto Akazawa, gerente do Departamento de Economia e Estatística do Sindicato.

Isso confirma, segundo ele, uma tendência que já vinha sendo observada. “O total acumulado nos cinco primeiros meses do ano foi de 8.069 ações locatícias, ante os 9.244 processos registrados no mesmo período de 2010, uma queda de 12,71%”, diz Akazawa. “Se perdurar a estabilidade econômica, a tendência é de manutenção da redução”, prevê.

Na opinião de Jaques Bushatsky, diretor de Legislação do Inquilinato do Secovi-SP, a modernização da Lei do Inquilinato, que passou a vigorar em janeiro de 2010, foi importante para a queda. “As novas regras agilizaram a tramitação dos processos. Com isso, acaba sendo mais vantajoso para o locatário negociar com o locador a correr o risco de ser despejado rapidamente”, esclarece. Segundo Bushatsky, a recomposição da renda, consequência do bom momento econômico vivido pelo País, também colaborou para a redução.

Conforme dados do Fórum, a falta de pagamento de aluguéis continuou sendo o principal motivo para as ações em maio. Foram registrados 1.367 processos desse tipo, 77,80% do total de casos do mês. As ações ordinárias ficaram com a segunda colocação, com 283 ações (16,11% do total). As renovatórias (88 ações) e as consignatórias (19) participaram, respectivamente, com 5,01% e 1,08%.

Fonte: Secovi - SP