Aluguel novo sobe 1,2% em janeiro na cidade de São Paulo, segundo Secovi-SP

Texto: Redação AECweb

Pesquisa mensal do Sindicato da Habitação mostra que os imóveis de 1 dormitório foram os que mais subiram: 1,5% 

10 de março de 2011 - O mercado de locação residencial na cidade de São Paulo iniciou o ano com comportamento semelhante ao dos últimos meses de 2010, segundo levantamento do Secovi-SP (Sindicato da Habitação). Nos contratos em andamento com correção pelo IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado) e aniversário em fevereiro, o reajuste é de 11,50%, correspondente à variação do indicador de fevereiro de 2010 a janeiro de 2011.

Quanto aos contratos novos celebrados no primeiro mês de 2011, pesquisa mensal do Departamento de Economia e Estatística do Sindicato mostra que o valor do aluguel subiu em média 1,2%. “O fato de o aumento ter sido inferior às altas de dezembro (1,9%) e novembro (1,6%) é um indicativo de que os preços podem até rumar para a estabilização nos próximos meses”, analisa Francisco Crestana, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi-SP. O estudo constatou ainda que o acréscimo médio dos aluguéis nos últimos 12 meses alcançou 14,57%.

As unidades de 1 dormitório registraram as maiores elevações em janeiro, de 1,5%. O preço dos imóveis de 2 quartos ficou em linha com a média do período (1,2%). “Residências de 1 e 2 dormitórios são artigo raro no mercado hoje em dia. Há fila de espera por esse tipo de imóvel em todas as regiões da Capital”, diz Francisco Crestana. Conforme a pesquisa, os imóveis de 3 dormitórios foram os que tiveram menor variação em janeiro, de 0,5%.

Os dados da pesquisa estão apresentados por faixa de valores por metro quadrado, número de dormitórios e por estado de conservação. Por exemplo: um imóvel de 3 quartos na zona Norte, em bom estado, possui aluguel por m2 situado entre R$ 14,61 e R$ 15,00. Assim, uma moradia de 90 m2 teria um valor de locação de R$ 1.315,00 a R$ 1.350,00.

A pesquisa do Secovi-SP detectou também que a modalidade de garantia mais utilizada no mês de janeiro foi o fiador, presente em 50% dos contratos fechados. O depósito de até três meses participou com 30% e o seguro-fiança com 20%.

Casas e sobrados foram alugados mais rapidamente que apartamentos no primeiro mês do ano. Nestes últimos, o IVL (Índice de Velocidade de Locação), que mede em número de dias quanto tempo um imóvel demora para ser alugado, oscilou de 18 a 38 dias, ao passo que casas e sobrados levaram de 12 a 29 dias para serem locados. Acesse o link abaixo e confira a íntegra da pesquisa.

Fonte: Secovi-SP