Aluguel residencial aumentou 1,2% em outubro na Capital

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Segundo pesquisa do Secovi-SP, no acumulado dos últimos 12 meses, contrato subiu 9,3%, menor percentual desde fevereiro de 2010

22 de novembro de 2012 - Os contratos de aluguel residencial assinados em outubro subiram 1,2% na cidade de São Paulo em relação ao mês anterior. No acumulado dos últimos 12 meses, o aumento médio é de 9,3%, acréscimo superior ao da inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), com alta de 5,45%, e do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), de 7,52% no mesmo período.

“Apesar de ainda ser superior aos indicadores de preço, a variação acumulada de 9,2% é a mais baixa desde fevereiro de 2010, quando havia oscilado 8,4%”, relata Walter Cardoso, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi-SP (Sindicato da Habitação).

As casas, sobrados e apartamentos de 1 e 3 dormitórios tiveram as maiores elevações em outubro, de respectivamente 1,3% e 1,5%. Os imóveis de 2 dormitórios sofreram aumentos na ordem de 1% no período pesquisado.

Em outubro, o fiador foi o instrumento de garantia mais usual nos contratos de locação, empregado em quase metade (47%) dos imóveis locados. O depósito de até três meses de aluguel foi utilizado em 32,5% das moradias alugadas. O seguro-fiança foi usado em 20,5% dos casos.

As residências alugadas mais rapidamente em outubro foram as casas e os sobrados. Esses imóveis foram ocupados num prazo médio de 13 a 32 dias. Os apartamentos demoraram um pouco mais: o IVL(Índice de Velocidade de Locação), que mede em número de dias quanto tempo se espera até que o contrato de locação seja assinado, apontou período entre 19 e 39 dias.

Fonte: Secovi – SP