Aluguel residencial fica estável em junho na Capital

Texto: Redação AECweb

Segundo pesquisa mensal do Secovi-SP, valor dos contratos fechados no mês passado apresentou leve alta de 0,2% em relação a maio

18 de julho de 2012 - Quem procurou moradia para alugar em junho na cidade de São Paulo deparou com preços relativamente estabilizados. Em relação aos valores vigentes em maio de 2012, o aluguel residencial registrou, em junho, um leve aumento de 0,2%, segundo pesquisa mensal do Secovi-SP (Sindicato da Habitação). Considerando o comportamento dos últimos 12 meses, a alta acumulada alcançou 13,2%, percentual superior à variação da inflação do mesmo período. O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), considerada a inflação oficial do País, totalizou 4,92% entre julho de 2011 e junho de 2012.

“Apesar desse descompasso entre a inflação e o valor do aluguel residencial, a oscilação de 13,2% é a menor variação acumulada nos últimos 12 meses”, ressalta Walter Cardoso, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi-SP.

Em junho, as residências com menor número de quartos (1 e 2) ficaram com seus aluguéis em junho no mesmo patamar do mês anterior, enquanto os imóveis de 3 dormitórios tiveram acréscimos médios da ordem de 0,5%.

O fiador foi a modalidade de garantia mais utilizada por inquilinos e proprietários nos contratos de locação, com 47% do total. O segundo tipo mais frequente foi o depósito de até três meses de aluguel, presente em quase um terço das locações realizadas. O seguro-fiança foi usado em 20,5% dos imóveis locados.

Casas e sobrados foram alugados mais rapidamente, num prazo médio de 12 a 29 dias. Os apartamentos escoaram mais devagar: seu IVL (Índice de Velocidade de Locação), que mede em número de dias quanto tempo leva um contrato de locação para ser assinado, oscilou entre 18 e 37 dias.

Fonte: Secovi - SP