Aquecimento do mercado de imóveis comerciais chega a Santa Catarina

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Das quase 5 mil obras em execução no estado, 1,4 mil são de empreendimentos comerciais

14 de março de 2013 - O grande crescimento do mercado imobiliário corporativo presenciado nos últimos anos, principalmente, em grandes capitais como São Paulo e Rio de Janeiro, passa a ser também uma realidade de cidades ao Sul do país, como é o caso de Blumenau e Itajaí, em Santa Catarina. Segundo dados da Go4 Consultoria de Negócios, das 4,6 mil obras ativas no estado, 1,4 mil são de empreendimentos comerciais. Isso mostra que dos 53,083 milhões de m² de área construída, 17,05% destina-se aos imóveis corporativos, sendo que do total de U$ 229,5 milhões investidos na construção civil, 23% vão para empreendimento comerciais.

A explicação para esses dados, conta Christian Majczak, sócio-diretor da consultoria, está no fato de a região concentrar umdos maiores polos industriais do país, que abriga atividades do setor metalmecânico, tecnológico, além de grandes montadoras e estaleiros, por exemplo, o que cria demanda por esse tipo de empreendimento. "Esse cenário tem se desenhado há cerca de três anos. É um mercado praticamente novo, que começa a florescer em Santa Catarina", aponta.

Além disso, ele lembra que há também o envelhecimento de todo o parque de prédios comerciais, que precisam ser renovados. Constatações como essa mostram que essa é uma nova oportunidade de negócios na região, que ainda concentra construtoras e incorporadoras locais, sem a presença de grandes concorrentes, que têm atuação no mercado nacional.

"São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo, ainda têm muita demanda por empreendimentos desse tipo, o que não atrai o olhar dessas construtoras, mas está aí mais um mercado a ser explorado", completa. A Torresani Empreendimentos Imobiliários mostra estar otimista com o mercado ao lançar no final de 2012, em Blumenau, uma torre comercial com 26 andares, dos quais 50% já foram comercializados.

"Os prédios que existiam eram antigos, simples e sem infraestrutura adequada para os tempos modernos. Viemos justamente para atender essa nova demanda", conta Valter Torresani, diretor da empresa, revelando ainda que dentro de cinco anos tem a meta de atuar também no estado do Paraná.

Dados da Secretaria Municipal de Urbanismo e Serviços Públicos (SUSP) apontam que em Florianópolis, nos últimos 10 anos, a construção civil ocupou cerca de 9 milhões de metros quadrados, desse total, 15% dos imóveis construídos foram para o mercado imobiliário comercial. O preço médio do m2 na região em 2002 era de R$ 70; em 2007, R$ 600 e em 2.012, R$ 1,5 mil.

Fonte: Brasil Econômico