Atividade da indústria da construção segue desaquecida em julho, diz CNI

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Desaquecimento é observado pelo terceiro mês seguido, aponta pesquisa. Situação é comum a todos os portes de empresas e setores da construção

23 de agosto de 2012 - A atividade da indústria da construção manteve-se desaquecida em julho pelo terceiro mês seguido, praticamente repetindo o observado nos dois meses anteriores, aponta nesta quinta-feira (23) a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O indicador do nível de atividade efetivo em relação ao usual ficou em 45,5 pontos no mês passado, abaixo da linha divisória dos 50 pontos - o que aponta que o patamar ficou abaixo do usual (acima da linha, demonstra atividade acima do usual). Em junho, o índice ficara em 45,3.

A situação é comum a todos os portes de empresas e aos setores da construção, diz a CNI.

Tanto a atividade como o número de empregados apresentaram queda com relação ao mês anterior.

O indicador de evolução da atividade ficou em 48,3 pontos, e o de evolução do número de empregados em 48,2 pontos, ambos também abaixo dos 50 pontos. Foi registrada, contudo, uma leve alta com relação a junho, quando os patamares eram de 47,7 e 47,8, respectivamente.

A Utilização da Capacidade de Operação (UCO) manteve-se nos 69% no mês.

Expectativa de crescimento

Para os próximos seis meses, porém, os indicadores ainda apontam para expectativa de crescimento.

"Contudo, esse otimismo está menos disseminado que nos meses anteriores. Todos os indicadores de expectativa (atividade, novos empreendimentos e serviços, compras de insumos e matérias-primas e número de empregados) mantiveram-se acima dos 50 pontos, mas caíram em agosto na comparação com julho", diz a confederação, na pesquisa.

Fonte: G1