Atividade do varejo sobe puxada por consumo de material de construção

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Movimento de consumidores cresceu 13,3% em outubro, ante 2011. Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio foi divulgado nesta 6ª

09 de novembro de 2012 - O movimento dos consumidores nas lojas em todo o país registrou expansão de 13,3% em outubro, na comparação com igual mês do ano anterior, e de 2,3% em relação ao mês anterior, já com ajustes sazonais. O resultado reverteu a queda de 1,9% verificada em setembro, na comparação com agosto, recolocando a atividade varejista em trajetória de expansão.

No acumulado de janeiro a outubro, a atividade varejista cresceu 9,5% frente a igual período do ano passado, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio divulgado nesta sexta-feira (9).

O desempenho positivo da atividade do comércio em outubro foi determinado pela alta de 9,9% no movimento dos consumidores nas lojas de material de construção, revertendo o declínio de 9,7% observado no mês imediatamente anterior.

Também contribuiu para o resultado favorável do varejo no período o crescimento de 5,4% no segmento de combustíveis e lubrificantes bem como a expansão de 2,4% no movimento dos consumidores no ramo de móveis, eletroeletrônicos e equipamentos de informática.

De acordo com a Serasa Experian, o único segmento do varejo que registrou recuo em outubro foi o de tecidos, vestuário e calçados, com queda de 0,7% no fluxo de consumidores nas lojas deste ramo do comércio, tendo sido esta a segunda queda mensal consecutiva deste segmento.

“A expansão da atividade varejista em outubro está em linha com a trajetória de recuperação do crescimento econômico e do consumo, tendo em vista as sucessivas reduções das taxas de juros, a presença de incentivos fiscais em setores específicos e os primeiros movimentos de recuo gradual da inadimplência dos consumidores”, diz a companhia em nota.

Os economistas da Serasa Experian avaliam que este cenário deverá prevalecer ao longo dos próximos meses, contribuindo para a predominância de resultados favoráveis para a atividade varejista no curto prazo.

Fonte: G1