Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Atividade na construção cai pelo sétimo mês seguido em novembro

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Nível de atividade registrou 46,3 pontos no mês passado. Número de empregados também caiu, de acordo com pesquisa da CNI

18 de dezembro de 2012 - A indústria da construção continua apresentando atividade desaquecida. O nível efetivo da atividade da construção ficou abaixo do usual para os meses de novembro pelo sétimo mês consecutivo, registrando 46,3 pontos no mês passado, de acordo com a Sondagem Indústria da Construção, divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta terça-feira (18).

Os valores da pesquisa variam de zero a cem, sendo que acima de 50 indicam atividade acima do usual.

O baixo nível de atividade efetiva comparativamente ao que ocorre em novembro foi comum a todos os portes de empresas, atingindo tanto as pequenas (44,8 pontos) quanto as médias (47,8) e as grandes (45,9 pontos). Segundo a pesquisa, o indicador do nível de evolução ficou em 49,1 pontos em relação a outubro, ligeiramente abaixo, portanto, da linha de 50 pontos, demonstrando desaceleração.

Empregados

O número de empregados na indústria da construção, que não cresce desde abril, também caiu em novembro, com 47,6 pontos. A queda no número do emprego se deveu às pequenas e grandes empresas, com indicadores de 47,2 pontos e 46,2 pontos, respectivamente. As médias empresas, com 50,3 pontos, mantiveram estável a quantidade de empregados.

A Utilização da Capacidade de Operação (UCO), que reflete o uso dos equipamentos e da mão de obra, ficou em 71% em novembro, praticamente no mesmo patamar de outubro, quando registrara 70%.

O economista da CNI Danilo Garcia explica, em nota, que o comportamento do setor da construção reflete o desaquecimento da economia como um todo. “A indústria da construção não está imune à desaceleração do restante da economia", disse.

Apesar do recuo na atividade, os empresários da construção estão otimistas em dezembro sobre os próximos seis meses, com indicadores acima de 50 pontos. A expectativa é positiva para o nível da atividade (56,3 pontos), novos empreendimentos e serviços (57,4 pontos), contratações (55,4 pontos) e compras de insumos e matérias-primas (55,4 pontos).

A Sondagem Indústria da Construção, feita pela CNI em parceria com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), foi realizada entre 3 e 13 de dezembro com 455 empresas, das quais 146 de pequeno porte, 198 médias e 111 grandes.

Fonte: G1

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: