Balanços das construtoras mostram recorde de vendas

Texto: Redação AECweb

MRV, Helbor, Eztec e Even divulgaram previas com resultados bem superiores a 2008

15 de janeiro - No início do ano passado, o cenário para o setor imobiliário era desolador. Crédito escasso, ações em queda e pouco dinheiro em caixa para tocar as obras. Depois de um empurrão providencial do governo, da retomada surpreendente da demanda e da reabertura do mercado de capitais, o tom mudou completamente.

Um otimismo quase exagerado tomou conta do setor, mas os números que começam a ser apresentados pelas companhias mostram que, de fato, 2009 surpreendeu. Até para quem não tem foco no mercado de baixa renda. As três construtoras que divulgaram prévia - MRV, Helbor, Eztec e Even - bateram recorde de vendas.

Com menos lançamentos, principalmente no primeiro semestre, as empresas conseguiram desovar estoques. Boa parte do que foi vendido foi de imóveis que as construtoras tinham em carteira.

Primeira entre as grandes construtoras a anunciar prévia dos resultados, a MRV, tradicional na baixa renda, fechou o ano com R$ 2,8 bilhões de vendas contratadas, um aumento de 82,7% em relação a 2008. Esse volume coloca a MRV na disputa pelo pódio do setor em vendas - nos nove primeiros meses do ano, a mineira estava na frente, mas Cyrela e PDG Realty, também no páreo, ainda não divulgaram os números fechados de 2009 - e a coloca em um novo patamar.

Em 2007, ano da abertura de capital, a companhia havia vendido R$ 717 milhões. Dois anos antes, ainda sem a injeção de R$ 1,2 bilhão obtida na bolsa, havia vendido apenas R$ 110 milhões.

O desafio agora é continuar crescendo na mesma velocidade e manter a operação rentável. Para este ano, a empresa estima vender, na média, R$ 4 bilhões, o que representa uma alta de 42,8% sobre uma base já expressiva.

Os lançamentos da MRV ficaram praticamente estáveis. Depois de acelerar de forma expressiva os lançamentos no quarto trimestre (R$ 1 bilhão), a empresa encostou no número de 2008 e fechou o ano com R$ 2,5 bilhões em novos produtos. "Diminuímos os lançamentos no começo do ano para vender estoques", afirma Leonardo Correa, diretor de relações com investidores.

Segundo Correa, a empresa também segurou lançamentos por conta da produção - considerado um dos principais gargalos do setor em 2010. "Voltamos a lançar, quando passamos a ter certeza de que poderíamos entregar tudo", acrescenta. A companhia é uma das principais beneficiadas pelo programa habitacional Minha Casa, Minha Vida.

A Helbor, que atua na média renda, teve vendas contratadas de R$ 1,16 bilhão, um recorde histórico em sua trajetória de 32 anos. Em 2009, as vendas Helbor totalizaram R$ 1,04 bilhão, registrando uma alta de 133%, em comparação com 2008. Das vendas contratadas, 65% são de lançamentos e 35% de unidades em estoque. As ações da empresa foram as que mais se valorizaram no ano passado, com alta de 383,71%.

A Eztec, que também atua na média renda além do segmento de imóveis comerciais, teve vendas contratadas de R$ 564,8 milhões, 57,8% superior a 2008. Das vendas de 2009, R$ 132,3 milhões são referentes a unidades lançadas em anos anteriores.

A Even, que atua na média e alta renda, atingiu vendas de R$ 1,23 bilhão, 9,8% acima do ano anterior, quando a empresa registrou R$ 1,12 milhão em vendas. Todas as empresas experimentaram em 2009 o segmento econômico, mas com participação ainda pequena no negócio.

Fonte: Valor Econômico - SP