Banco do Brasil terá mais opções para financiar imóveis

Texto: Redação AECweb

BB vai ampliar crédito imobiliário com opções para pessoas físicas e jurídicas

14 de janeiro de 2010 - Uma reunião realizada em dezembro entre vice-presidentes do Banco do Brasil e diretores do Sindicato da Habitação (Secovi -SP) definiu projetos para intensificar a atuação do banco no crédito imobiliário. Os representantes apresentaram planos, produtos, serviços e estrutura para compradores e empresas do mercado imobiliário. A meta do Banco do Brasil é incrementar as operações às pessoas físicas e jurídicas.

"Estamos prontos para receber propostas enquadradas no Programa Minha Casa, Minha Vida - já temos alguns projetos assinados. As empresas podem contar conosco no financiamento à construção e de imóveis na planta, além de produtos como securitização, fundos imobiliários e de investimento em direito creditório. Também somos fortes no consórcio de imóveis", afirmou o vice-presidente de Negócios de Varejo do BB, Paulo Rogério Caffarelli.

Ele comentou que o BB pretende trabalhar de forma cooperada com os empresários para popularizar o crédito e atender famílias com renda de até três salários mínimos - 80% do déficit. A meta traçada pelo banco é ser o primeiro no segmento em 2010, no Estado de São Paulo, e em 2012 chegar, nacionalmente, entre os três maiores agentes financeiros, excetuando a Caixa.

O BB espera saltar dos atuais R$ 1,6 bilhão de recursos da poupança para habitação para R$ 4 bilhões em 2010. O próximo ano, o BB vai oferecer financiamento à construção (pessoa jurídica), financiamento na planta (pessoas jurídica e física), Home Equity e Fundos Imobiliários. Segundo o presidente do Secovi-SP, João Crestana, a presença da equipe do BB na entidade mostra a vontade do banco de quebrar paradigmas e trazer novos parâmetros de concorrência. "A concorrência entre os bancos torna o crédito popular e é muito saudável tanto para as empresas quanto para os compradores".

Lei do Inquilinato
A nova Lei nº 12.112, que aprimora a legislação do inquilinato, é decisiva para incentivar o mercado de locação e estimular investimentos específicos no setor.

A lei fortalece as relações no mercado e faz com que empresas se interessem em reali zar empreendimentos exclusivos para locação, ampliando as condições de acesso à moradia digna.

De acordo com Jaques Bushtsky, diretor de Legislação do Inquilinato do Secovi - SP, "a nova legislação é revolucionária, aperfeiçoando e modernizando procedimentos na locação de imóveis urbanos".

Dentre as mudanças, destaca-se a maior agilidade na tramitação de ações de despejo por falta de pagamento. "Como os locadores terão certeza de um despejo rápido, as garantias locatícias - onerosas ou difíceis de serem obtidas pelos inquilinos - já não serão tão necessárias", completa Bushatsky.

Fonte: Diário de Maringá - PR