Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

BB pode liberar R$ 2,1 bi para imóveis este ano

Texto: Redação AECweb

Carteira habitacional será elevada de R$ 1,6 bilhão para R$ 3,7 bilhões - um salto de 131%

07 de janeiro de 2010 - O Banco do Brasil decidiu pisar fundo no financiamento da casa própria. Segundo o vice-presidente de Novos Negócios da instituição, Paulo Rogério Caffarelli, o BB tem hoje capacidade para liberar até R$ 7 bilhões, incluindo os recursos captados pela Nossa Caixa por meio da caderneta de poupança.

Desse total, R$ 2,1 bilhões deverão ser emprestados em 2010, elevando a carteira habitacional dos atuais R$ 1,6 bilhão para R$ 3,7 bilhões - um salto de 131%. "Com exceção da Caixa Econômica Federal, não há nenhum outro banco no mercado com tantos recursos disponíveis para o financiamento de imóveis", disse.

A meta do BB é chegar a 2012 entre os três maiores bancos com atuação no sistema imobiliário. "Queremos ter entre 6% e 7% do mercado. Esse é o percentual compatível com o tamanho do BB", afirmou Caffarelli.

Hoje, a participação do banco no estoque total de financiamento de moradias é de apenas 1,6%. "É pouco perto do que é o Banco do Brasil, mas não podemos esquecer que começamos a operar nesse mercado somente no fim de 2008, no auge da crise mundial", assinalou.

Na estratégia para crescer, o BB fechou acordo com as 16 maiores construtoras do País para financiar diretamente os empreendimentos imobiliários. Agora, está finalizando a parceria com uma promotora de crédito imobiliário para comprar toda a carteira de crédito que ela vier a gerar.

"Não se pode esquecer ainda que temos, em nossos cadastros, mais de 2,4 mil construtoras, a maior parte com crédito pré-aprovado", destacou. "Sabemos que o financiamento da casa própria é o principal produto para o crescimento dos bancos. É uma forma de manter um cliente fidelizado por 15, 20, 30 anos", acrescentou.

Caffarelli ressaltou que o banco vai partir para cima de todo tipo de cliente, inclusive os de renda mais baixa, público alvo da Caixa. Tanto é que, entre projetos aprovados e em análise, o BB já ofereceu R$ 1,5 bilhão para a construção de 23 mil unidades dentro do programa Minha Casa, Minha Vida. "A nossa expectativa é de, até 2012, liberar R$ 5 bilhões para o financiamento de 88 mil imóveis dentro desse programa."

Ele chamou ainda a atenção para o foco do BB sobre os servidores públicos, aos quais estão sendo oferecidas condições especiais de financiamento. No geral, o banco está cobrando nos empréstimos juros entre 8,4% e 12% ao ano além da variação da Taxa Referencial (TR) para imóveis avaliados em até R$ 500 mil.

Fonte: Jornal do Commercio

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: