Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

BIM moderniza o mercado brasileiro da construção

Texto: Redação AECweb

Especialistas discutiram utilização de novo modelo construtivo durante o Encontro Nacional da Indústria da Construção

12 de agosto de 2011 - O primeiro dia do painel de Comissão de Materiais, Tecnologia, Qualidade e Produtividade (COMAT), realizado nesta quinta-feira (11), durante o 83º ENIC, apresentou as novidades e avanços do BIM (Modelagem de Informação da Construção) no país. Participaram do debate o engenheiro Mauricio Bianchi, vice-presidente do SindusCon–SP, o arquiteto Brandon Haw, da Foster + Partners, e Fernando Correa, engenheiro do Comitê de Tecnologia e Qualidade do SindusCon-SP (CTQ).

Durante o encontro, os palestrantes destacaram a importância da incorporação da tecnologia no planejamento de empreendimentos, o que pode tornar o mercado de construção do país cada vez mais competitivo e eficiente. "O BIM é uma forma diferente de pensar e projetar os mais diversos tipos de construção. Por meio dele, podemos fazer um planejamento muito mais detalhado de cada edifício", destacou Mauricio Bianchi.

Fernando Correa, membro do CTQ do SindusCon-SP, abordou os avanços das empresas brasileiras no processo de modernização de seus empreendimentos. Segundo o engenheiro, desde o ano 2000, os projetos das construtoras começaram a ficar cada vez mais tecnológicos e inteligentes. "Uma vez que conseguimos integrar uma série de dados produzidos por profissionais de diferentes áreas, nós realizamos a chamada "interoperabilização" de todos os processos construtivos, o que nos permite oferecer empreendimentos de qualidade muito superior à população",afirmou Correa.

Brandow Haw, responsável pelo primeiro arranha-céu com itens de sustentabilidade do mundo – a Matriz do Commerzbank em Frankfurt, apontou a necessidade do setor de construção em conciliar tecnologia e sustentabilidade. "Com o contínuo crescimento das áreas urbanas, a boa utilização do espaço torna-se fundamental para que as construções futuras sejam economicamente sustentáveis e mantenham as boas condições de vida para a sociedade", explicou.

Medidas como a ventilação natural e o resfriamento na estrutura para utilizar menos energia, planejadas por meio do sistema BIM, foram apontadas pelo arquiteto como alternativas para atingir tal objetivo. "Com os sistemas avançados de engenharia podemos fazer uma projeção arquitetônica inteligente de todas as cidades e torná-las ainda mais preparadas para enfrentar o futuro",concluiu Brandow.

Fonte: SindusCon-SP

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: