Caixa Econômica Federal dobrou crédito para habitação em 2009

Texto: Redação AECweb

Valor liberado em 2009 foi 8 vezes maior que o total obtido no início do primeiro mandato do presidente Lula, em 2003

13 de janeiro de 2010 - A Caixa Econômica Federal liberou em 2009 cerca de R$ 45 bilhões para contratações de crédito imobiliário -alta de 95% em relação ao ano anterior, quando os empréstimos atingiram R$ 23 bilhões.

Os números ainda são preliminares e foram divulgados ontem pela presidente da instituição, Maria Fernanda Ramos Coelho, em evento de assinatura de projetos do programa Minha Casa, Minha Vida, com a presença do presidente Lula.

Segundo a presidente da Caixa, o valor liberado para financiamento de imóveis em 2009 é oito vezes maior que o total obtido no início do primeiro mandato do presidente Lula, em 2003, quando o crédito imobiliário atingiu R$ 5 bilhões.

Durante esse período, os empréstimos da Caixa cresceram em todas as frentes: tanto com recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) como nas linhas com recursos próprios do banco. Cerca de 40% dos recursos da Caixa para empréstimos imobiliários são destinados para famílias com renda de até cinco salários mínimos. O valor médio do financiamento é de R$ 69 mil.

A Caixa é responsável por 75% do volume de empréstimos habitacionais no país. Em número de unidades financiadas, o banco responde por 84% do total do mercado. Na carteira do banco existem mais de 2 milhões de contratos ativos, sendo o perfil do credor relativamente jovem. Cerca de 71% do total tem até 45 anos e 22%, 30 anos de idade. As mulheres são responsáveis por 37% do total da carteira.

Minha Casa, Minha Vida
O crescimento do setor imobiliário foi impulsionado, também, pelos financiamentos realizados no programa Minha Casa, Minha Vida, lançado em abril de 2009. O ministro das Cidades, Marcio Fortes, disse ontem que já existem cerca de 600 mil propostas de projetos na carteira do programa.

Para ele, no ritmo em que as contratações vêm ocorrendo, a meta inicial de atingir 1 milhão de moradias deverá ser cumprida. Não existe prazo para a conclusão do programa.

Durante o evento em Brasília foram assinados protocolos de 2.042 novas propostas de projetos para o programa. Será liberado R$ 1 bilhão em recursos do Orçamento da União. Outras 54 propostas do Pró-Moradia, programa habitacional que integra o PAC, receberão recursos de R$ 2 bilhões do FGTS.

Fonte: Folha de São Paulo