Caixa espera superar R$ 7 bi em crédito no RS

Texto: Redação AECweb

Entidade do setor estima avanço de 30% nos recursos para habitação

13 de janeiro de 2011 - Recordes do ano passado devem se repetir no mercado imobiliário em 2011. No Rio Grande do Sul, o volume financiado pela Caixa Econômica Federal deve superar R$ 7 bilhões este ano, acima do contratado em 2010, de R$ 5,6 bilhões, que será apresentado na próxima semana.

Os dados são do balanço da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), que prevê avanço de 30% nos recursos da poupança destinados à habitação em 2011. A expectativa da entidade é de volume de R$ 82 bilhões para o mercado imobiliário com recursos dos poupadores - cerca de 70% intermediados pela Caixa Econômica Federal.

Somados aos R$ 23 bilhões já aprovados pelo fundo curador do FGTS, os recursos públicos para habitação podem alcançar R$ 105 bilhões. No ano passado, o volume foi de R$ 86 bilhões.

A Caixa espera manter o crescimento da atividade imobiliária, ainda que em ritmo menor. Em 2010, os recursos destinados à habitação chegaram a quase R$ 70 bilhões, expansão de 42% sobre o ano anterior.

A segunda etapa do Minha Casa, Minha Vida deve financiar perto de 36 mil imóveis novos no Rio Grande do Sul para famílias com renda até cinco salários mínimos. O programa respondeu por metade dos financiamentos da Caixa em 2010 no Estado. Desde abril de 2009, a Caixa injetou R$ 4,3 bilhões no Estado. “Se existem demanda e recursos, não tem por que não continuar crescendo”, explicou o gerente regional da construção civil da Caixa em Porto Alegre, Pedro Lacerda.

O programa é em parte responsável pelo bom desempenho da indústria gaúcha da construção em 2010. Segundo o presidente do Sindicato das Indústrias da Construção do Estado (Sinduscon-RS), Paulo Garcia, o crescimento médio de 7,5% na atividade no ano passado foi muito bom, mas não deve se repetir. “Vamos lutar para manter, mas continuar crescendo nesse ritmo forte depende de mudanças estruturais”, avisou Garcia.

Fonte: Zero Hora - RS