Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Caixa faz securitização da carteira imobiliária

Texto: Redação AECweb

De acordo com o banco, essa é a maior operação na modalidade já realizada

24 de outubro de 2011 - A Caixa Econômica Federal, agente operador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), assinou, na última quinta (20), em Brasília, operação de securitização de carteira imobiliária no volume total de R$ 1,5 bilhão.

De acordo com o banco, essa é a maior operação na modalidade já realizada, e está lastreada em mais de 30 mil créditos imobiliários, concedidos pela Caixa, e cedidos à Gaia Securitizadora. Os recursos para realizar a operação virão do FGTS. Com a operação, a Caixa terá mais recursos para o financiamento imobiliário.

Segundo nota da Caixa, a operação tem como objetivo principal "incentivar o fortalecimento do mercado secundário para crédito imobiliário, no Brasil, que tem histórico apenas de mercado primário. Os recursos captados serão utilizados para gerar funding [recursos] a novos créditos imobiliários".

De acordo com a Caixa, em 2011, foram recebidas doze propostas de venda de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) ao FGTS, no montante de R$ 6,2 bilhões. Dessas propostas, foram selecionadas seis, todas lastreadas em créditos individuais para imóveis de até R$ 200 mil. As outras cinco operações, envolvendo três securitizadoras e cinco agentes financeiros, no valor total de R$ 1,3 bilhão, aguardam encaminhamento das propostas finais para concretização da compra dos CRI pelo FGTS, ainda neste ano.

Para o período de 2002 a 2011, o Conselho Curador do FGTS alocou R$ 7,03 bilhões para essas operações. Desse montante, R$ 2,84 bilhões foram alocados para o exercício de 2011. Até 2010, foram realizadas vinte operações de aquisição de CRI, que atingiram o total de R$ 130,6 milhões.

Caixa reduz juros


A Caixa Econômica Federal anunciou que decidiu reduzir as taxas de juros, em suas linhas de financiamento para consumidor e empresas, acompanhando a queda da taxa Selic, anunciada pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom).

Para o segmento de crédito à Pessoa Física, serão contemplados os seguintes produtos: cheque especial; crédito pessoal; antecipação de 13º salário; financiamento de pós-graduação/MBA; CDC salário; CDC turismo; financiamento de veículos e crédito Aporte.

Nas operações para Pessoa Jurídica, a redução vai atingir as operações de antecipação de recebíveis (GiroCaixa Instantâneo Múltiplo e Construgiro); capital de giro parcelado (crédito especial empresa, GiroCaixa Rec Caixa e antecipação de fornecedores); e investimentos (bens de consumo duráveis e producard). As novas taxas serão anunciadas nos próximos dias.

Com essas reduções, a Caixa, de acordo com nota, "fortalece sua política de praticar sempre as melhores taxas do mercado. A queda dos juros, neste momento, vai incentivar a manutenção dos níveis de produção, emprego e renda da economia brasileira, além de melhorar o ambiente para os novos negócios".

Fonte: Monitor Mercantil

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: