Caixa liberou R$ 509,9 mi para Minas

Texto: Redação AECweb

Volume referente a maio de 2010 superou os R$ 367,076 milhões do mesmo mês do ano passado em 38,9%

08 de junho de 2010 - A Caixa Econômica Federal (Caixa) liberou mais de meio bilhão em crédito habitacional somente no mês de maio em Minas Gerais. Foram R$ 509,972 milhões, volume que superou os R$ 367,076 milhões do mesmo mês do ano passado em 38,9%. O número de unidades habitacionais saltou no período de 9,278 mil no mês para 11,245 mil.

No acumulado de janeiro a maio o crédito habitacional aprovado no Estado atingiu R$ 3,087 bilhões e disparou 119,5% ante os R$ 1,406 bilhão de mesmo intervalo de 2009. Este ano, até maio, os recursos já permitiram o financiamento de 71,991 mil moradias contra 35,227 mil unidades habitacionais dos cinco primeiros meses do ano passado. Durante todo o exercício passado, a Caixa aprovou R$ 5,796 bilhões em crédito habitacional, que financiaram 152,511 mil moradias.

Na comparação dos valores de maio (R$ 509,9 milhões) com os de abril, porém, apurou-se retração de 41%. No quarto mês de 2009 a Caixa desembolsou em financiamento habitacional R$ 865,649 milhões.

Os recursos para os financiamentos habitacionais são realizados por meio de recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) - que incluem os destinados ao programa habitacional "Minha casa, minha vida" - e do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE).

O programa do governo federal "Minha casa, minha vida", lançado há um ano e que pretende reduzir em 14% o déficit habitacional do país, contabiliza em projetos contratados em Minas Gerais 47,2% da meta para o Estado, que é de 88,495 mil unidades habitacionais.

A Caixa já liberou financiamentos para a construção de 41,774 mil moradias, que em volume financeiro ultrapassam R$ 2,382 bilhões. A média do país atingiu 40,9% do total estipulado de 1 milhão de moradias. Minas está atrás apenas da Bahia e de São Paulo.

Feirão


A Caixa descartou a possibilidade de uma redução nos financiamentos para o programa habitacional em virtude do encarecimento do crédito, um reflexo da provável elevação da taxa Selic, fixada em 9,5% ao ano e que deverá ser elevada esta semana, quando ocorre a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). A expectativa para 2010 é repetir 2009 no que diz respeito a permanecer registrando recordes no crédito para habitação.

Para impulsionar ainda mais o financiamento imobiliário a Caixa vai realizar em Belo Horizonte entre os dias 11 e 13 de junho o sexto feirão da casa própria no Expominas, região Oeste da Capital. Até o momento está assegurada a oferta de 9,214 mil imóveis, sendo que a previsão é superar os 13,312 mil unidades de 2009. Das moradias que já estão confirmadas, 6,2 mil são novas (6 mil na planta) e as outras 3,014 mil unidades são de imóveis usados.

Está confirmada a participação de 20 construtoras e 25 imobiliárias, mas este número pode aumentar porque várias empresas estão viabilizando projetos habitacionais. A expectativa é superar os negócios realizados em 2009, que chegaram a 1,012 mil contratos, correspondentes a R$ 70,3 milhões.

As taxas de juros e o número de parcelas variam conforme a classe de renda e o valor do imóvel. A linha de crédito mais barata é de 4,5% ao ano e a mais cara de 10,5%. O prazo de abatimento pode chegar a 360 dias e o comprometimento da renda é fixado em 30%.

Fonte: Diário do Comércio - MG