Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Caixa repassa R$ 577 milhões do PAC para São Bernardo do Campo

Texto: Redação AECweb

Verba será utilizada em obras de combate a enchentes e habitação no município


12 de dezembro de 2011 - O presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Hereda, e o prefeito de São Bernardo do Campo (SP), Luiz Marinho, assinaram na última semana, contratos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 1 e 2) no valor de R$ 577 milhões, para investimentos em obras de combate a enchentes e habitação no município. Serão R$ 457 milhões da CAIXA e R$ 120 milhões de contrapartida da prefeitura – o maior contrato em valor já firmado com uma prefeitura, em todo o país, no âmbito do PAC. Outros R$ 50 milhões serão transferidos pelo governo do estado de São Paulo, totalizando R$ 627 milhões.

Serão destinados R$ 275,4 milhões para implementação de reservatório de detenção, no Córrego dos Lima (piscinão), construção de uma galeria fechada nas proximidades da Rua Jurubatuba, da Avenida Brigadeiro Faria Lima e do Paço Municipal, e para obras de microdrenagem. O contrato tem como objetivo reduzir as enchentes que ocorrem nos períodos com maior incidência de chuva (historicamente no verão) na região central de São Bernardo.

Outros R$ 147 milhões serão aplicados na canalização do Córrego Ipiranga, que contará também com a ampliação do sistema de macro e microdrenagem, e na construção de duas elevatórias de águas pluviais, na Vila Vivaldi e adjacências. A duração da obra está prevista para 18 meses.

Os córregos Capuava e Ribeirão dos Meninos receberão R$ 35,3 milhões, para canalização e ampliação de travessias. A obra beneficiará 50 mil moradores do Bairro Demarchi e região. Para a canalização do Córrego do Pindorama, serão destinados R$ 32,5 milhões. A obra tem duração prevista para 18 meses, com entrega programada para 2013.

O presidente da CAIXA, Jorge Hereda, falou sobre o momento difícil da conjuntura econômica do mundo e destacou que o Brasil está firme e que precisa mais do que nunca garantir investimentos para saldar parte de sua dívida social. “Precisamos tomar medidas para expandir crédito e investimentos (PAC2 e MCMV), fazer obras, gerar empregos, e isto não é possível sem a parceria entre os municípios e a Caixa para acelerar este processo”, disse.

“Faz diferença estar atento a seleções, batalhar para apresentar projetos que sejam viáveis e, além do mais, quando se priorizou o PAC, se priorizou as grandes cidades, e São Bernardo é uma das maiores do país”, finalizou o presidente Jorge Hereda.

Vale destacar que em habitação, os investimentos totalizam R$ 93,3 milhões, e prevêem a urbanização do Complexo Silvina Audi. Serão destinados ainda, R$ 42,3 milhões para assentamentos precários no Capelinha e Cocaia, e R$ 1,2 milhão para a modernização e urbanização de assentamento no Bairro Batistini. Serão produzidas, no total, 810 unidades, enquadradas no Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV), além da construção de 80 unidades com recursos Orçamento Geral da União (OGU), para os equipamentos comunitários.

Para finalizar, no âmbito do PAC 1, foi investido, em São Bernardo do Campo, um total de R$ 616 milhões, correspondente a 19 projetos contratados. Os recursos do PAC 2, destinados ao município, são da ordem de R$ 618 milhões em repasse, mais R$ 75,4 milhões em unidades do PMCMV, que corresponde a 11 propostas selecionadas, entre elas 7 projetos de saneamento, 1 de elaboração de projeto e 3 de urbanização.

Fonte: Investimentos e Notícias

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: