Carteira de crédito da Caixa avança 56% e alcança R$ 125 bi

Texto: Redação AECweb

Presidente do banco apresentou ontem dados ao ministro Mantega

20 de janeiro de 2010 - Em ano de crise financeira, a Caixa Econômica Federal fechou 2009 com uma oferta de crédito recorde de R$ 125 bilhões para empresas e pessoas físicas. Um crescimento de 56% sobre 2008. Foi a primeira vez que o banco estatal rompeu a barreira dos R$ 100 bilhões no desembolso de empréstimos.

"O número é novíssimo. É histórico para a Caixa", comemorou a presidente da instituição, Maria Fernanda Coelho. Ela apresentou ontem os dados preliminares do balanço do banco ao ministro da Fazenda, Guido Mantega. O balanço fechado só será conhecido em fevereiro.

Dos R$ 125 bilhões que a Caixa emprestou no ano passado, R$ 46,9 bilhões foram operações de crédito para habitação, que apresentaram expansão de 100% em relação ao ano anterior.

"As operações do Minha Casa, Minha Vida (MCMV) têm impacto bastante significativo no crescimento do crédito habitacional", destacou Maria Fernanda. O crédito para habitação, segundo ela, se expandiu com recursos da poupança e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). "A poupança teve um crescimento bastante expressivo", afirmou.

Segundo ela, os números são parciais e precisam ser ainda consolidados. A Caixa vai apresentar hoje os dados do programa MCMV à ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. Para Maria Fernanda, a Caixa soube aproveitar o momento de crise para expandir o crédito, enquanto os outros bancos se retraíram.

Agressividade
O desempenho da Caixa mostra a agressividade dos bancos públicos durante a crise, uma estratégia do governo para estimular o crescimento e evitar maior desaceleração da atividade econômica, política chamada de anticíclica.

Em novembro, o volume de crédito dos bancos públicos representava 18,4% do Produto Interno Bruto (PIB), parcela maior do que a dos bancos privados nacionais. Ao final de 2008, a participação dos bancos públicos no crédito era de 13,8%. A meta da Caixa para o crescimento do crédito em 2010 é de 30%.

BNB também avança
O presidente do Banco do Nordeste (BNB), Roberto Smith, informou que as operações de crédito do banco estatal cresceram 50% em 2009. Segundo ele, 98% dessas transações foram financiamentos para pequenas empresas.

Smith também esteve ontem no Ministério da Fazenda para apresentar os dados preliminares do balanço do banco no ano passado.

Nas reuniões no ministério, ele também conversou sobre a medida provisória em tramitação no Congresso que capitaliza o BNB em R$ 1 bilhão, além da capitalização em R$ 6 bilhões da Caixa.

Segundo ele, a necessidade de aprovação deste projeto é urgente porque o banco está se aproximando dos limites para oferta de crédito. Para emprestar mais, precisa obrigatoriamente de mais capital.

Fonte: O Estado de S. Paulo - SP