Certificação Aqua também prevê conforto de morador

Texto: Redação AECweb

Conjuntos habitacionais mal planejados, com pouco espaço, sem iluminação e circulação de ar não são considerados sustentáveis

03 de março de 2010 - A preocupação em desenvolver um projeto habitacional sustentável não se resume apenas em planejar formas de economizar e racionalizar o uso de água e energia elétrica para ajudar o meio-ambiente. O termo tem um aspecto mais amplo e inclui preocupações com a continuidade da empresa investidora e, principalmente, o bem-estar do morador e da comunidade do entorno.

Por isso, para um edifício ou conjunto habitacional conseguir um certificado como o Processo AQUA (Alta Qualidade Ambiental) Habitacional, da Fundação Vanzolini, precisa cumprir itens que controlam, inclusive, se há espaço na cozinha para os eletrodomésticos e se a pia e bancada estão na altura correta O Processo AQUA avalia ainda o conforto acústico – se vaza muito barulho da rua --; higrotérmico – temperatura e umidade--; visual – iluminação -- e olfativo da habitação – pensando na qualidade do ar e de odores.

O coordenador executivo do Processo AQUA na Fundação Vanzolini, Prof. Manuel Carlos Reis Martins, explica que com um lar certificado como sustentável, o comprador sabe que terá uma habitação mais saudável e confortável, com valorização patrimonial, além de menores custos no consumo de água, energia e conservação.

A Certificação AQUA habitacional, lançada em janeiro no Brasil, foi desenvolvida pela Fundação Vanzolini, entidade de referência em certificação de sistemas de gestão e produtos da construção civil há mais de 15 anos, em parceria com a Cerqual, integrante do Grupo Qualitel (organismo francês de certificação de empreendimentos habitacionais sustentáveis na França). Na França, desde 1990, já foram certificados 50 milhões de m2, o que significa que 800 mil unidades habitacionais têm alta qualidade ambiental. 

“Os certificados de sustentabilidade, já estabelecidos há anos internacionalmente, funcionam para os locatários e moradores como segurança de uma habitação confortável, correta com o meio-ambiente e com valores de gasto de energia e água menores”, explica.

São 14 categorias previstas no Processo Aqua, que resultam em reaproveitamento de água; controles com vistas à redução de consumo de energia e ao conforto ambiental; a utilização de energia solar; a adoção de produtos e materiais recicláveis, entre eles, a madeira certificada, pisos sustentáveis, telhas de material reciclado, entre outros.

Além disso, o certificado exige que seja cumprido o Sistema de Gestão do Empreendimento (SGE) - que controla o projeto em todas as fases, incluindo avaliação por auditoria presencial independente. O certificado, de nível internacional, é emitido pela entidade em cada uma das três fases do empreendimento (programa, concepção e realização) e visa demonstrar a alta qualidade ambiental das edificações.

Além do programa para Edifícios Habitacionais, a Fundação Vanzolini possui a Certificação AQUA para projetos corporativos, comerciais, hoteleiros e instituições educacionais desde 2008, contabilizando com a adesão de 17 empreendimentos, sete dos quais já certificados.

Fonte: Ateliê de Textos