Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Cimento e tijolos têm o maior peso nas obras

Texto: Redação AECweb

Material de construção respondeu por 54,04% do custo total

08 de julho de 2011 - Dentre os produtos utilizados na construção civil, os maiores reajustes em junho foram notados nos preços do cimento (4,17%), do bloco cerâmico para alvenaria (4,88%) e do fio de cobre antichama (2,99%), segundo pesquisa do Sinduscon/MT. O material de construção respondeu por 54,04% do custo total da obra.

Na avaliação do presidente da Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção de Mato Grosso (Acomac/MT), José Guerino Zompero, os preços dos materiais de construção não pesaram mais no custo total da construção em junho do que nos meses anteriores. "No primeiro semestre deste ano os produtos baratearam uns 10%, com a desoneração do ICMS para o segmento, em vigor desde fim do ano passado".

Pesquisa do Sinduscon de junho aponta redução de preços em apenas 5 itens, que são a chapa de compensado (-0,16%), a fechadura para porta interna (-1,72%), a placa de cerâmica (-1,74%), a placa de gesso liso (-4,35%) e a bacia sanitária (-1,17%).

Presidente do Sindicato das Indústrias de Cerâmica e Construção de Mato Grosso (SICCE/MT), José Lavaqui, explica que os fornecedores estabeleceram uma adequação de preços por causa dos reajustes na remuneração da mão de obra (8%), da energia elétrica (11%) e material de queima (14%). "Voltamos aos preços que estávamos praticando no ano passado, que tínhamos baixado por causa do desaquecimento do mercado local".

Atualmente, o milheiro de tijolos com 8 furos está cotado entre R$ 400 e R$ 440. Lavaqui acrescenta que as vendas do último mês foram inferiores à junho de 2010. "Mas julho já começou melhor".

Presidente da Acomac, Antônio Zompero, concorda. "Até o mês passado, abria a loja sem muita perspectiva. Agora fecho sem ter conseguido concluir os orçamentos e com o movimento de um único dia, continuo trabalhando por mais 3". No primeiro semestre deste ano, acrescenta Zompero, as vendas cresceram cerca de 6%, no comparativo com igual período do ano passado.

Fonte: Gazeta Digital - MT


 

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: