Com eleição, mão de obra perde ritmo na construção pesada

Texto: Redação AECweb

A chegada das eleições desacelerou o ritmo de contratação de mão de obra para a construção de grandes projetos nos últimos meses

06 de setembro de 2010 - Em julho, pelo quarto mês consecutivo, o nível de emprego na construção pesada registrou queda no Estado de São Paulo. As empresas do setor contabilizaram 81.566 empregados no mês.

Desde março, já foram demitidos mais de 4.000 trabalhadores, segundo levantamento realizado pelo Sinicesp (Sindicato da Indústria da Construção Pesada do Estado de São Paulo).

Com a proximidade do período eleitoral, o andamento das obras costuma ser acelerado para que os empreendimentos sejam inaugurados antes do início da propaganda dos candidatos.

A liberação de um novo lote de licitações, porém, já é esperada pelo mercado.

"As quedas foram registradas em virtude do término de muitas obras, como as do Rodoanel. As nossas expectativas, no entanto, são de que o nível de emprego voltará a subir com novas licitações que devem chegar nas próximas semanas", afirma o presidente do Sinicesp, Marlus Renato DallStella.

Na comparação com julho de 2009, ano que teve queda devido a reflexos da crise internacional, a diferença neste ano é de apenas 1.363 trabalhadores a mais.

Fonte: Folha de S. Paulo - SP