Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Compra de imóveis usados pelo Minha Casa, Minha Vida poderá ser incluída

Texto: Redação AECweb

Conselho Federal dos Corretores de Imóveis defende inclusão de unidades já prontas e ampliação do valor do bem para R$ 150 mil

02 de junhos de 2010 - O programa ‘Minha Casa, Minha Vida’, voltado a famílias com renda até R$ 4.900, poderá incluir a compra de imóveis usados, com subsídio de até R$ 23 mil, seguro-desemprego (fundo garantidor) e juros mais acessíveis. O Cofeci (Conselho Federal dos Corretores de Imóveis) vai encaminhar estudo ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com dados que provam a viabilidade da medida e que ela torna o programa mais dinâmico. O documento será entregue por meio da CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção), diz o vice-presidente do Cofeci, Armando Cavalcanti.

Segundo ele, quem vende uma unidade usada quer comprar uma nova. "Atualmente, existe um número expressivo de imóveis usados que poderiam ser comercializados e habitados de imediato. O mutuário não precisaria esperar um ou dois anos para se mudar. Além disso, vamos propor a ampliação do limite do valor do imóvel (R$ 130 mil) para R$ 150 mil", diz Cavalcanti.

José Augusto Viana Neto, também vice-presidente do Cofeci, ressalta que o País tem 4 milhões de residências usadas disponíveis para ocupação imediata. Segundo ele, as unidades poderiam ser colocadas à disposição da população que procura moradias pelo programa habitacional.

O Ministério das Cidades, a Caixa Econômica Federal e os empresários do setor estão discutindo a implantação do ‘Minha Casa, Minha Vida 2’. A nova etapa do programa que vem atraindo investidores de várias partes do mundo contará com modificações. Uma delas será dobrar o número de moradias construídas - para 2 milhões. O orçamento de R$ 71 bilhões para subsídios deverá ser aprovado pelo Congresso Nacional até julho.

Atualmente, o programa contempla unidades com ‘Habite-se’ a partir de 26 de março de 2009. Os juros variam entre 4,5% e 8,16% ao ano mais TR (Taxa Referencial).

Feirão da Baixada vai dar cheque desconto de R$ 3 mil

Cheques descontos no valor de R$ 3 mil, cozinhas planejadas e linha branca, além de taxa de juros a partir de de 4,5% ao ano mais TR (Taxa Referencial). Esses são alguns dos mimos oferecidos pelo Feirão da Casa Própria da Caixa Econômica Federal na Baixada Fluminense. Serão ofertados 23 mil unidades nos dias 5 e 6 no estacionamento do Shopping Grande Rio, em São João do Meriti.

A Rossi, por exemplo, vai dar cheque desconto, de R$ 3 mil, a todos os clientes que adquirirem os imóveis durante o evento. Haverá ainda armários de cozinha e kit linha branca. Segundo o superintendente regional da Caixa, Cláudio Martins, o imóvel mais barato custa R$ 75 mil e o mais caro, R$ 500 mil.

"Das 23 mil ofertas, 60% (13.800) são do ‘Minha Casa, Minha Vida’. Será um evento que não é só para o público da Baixada. Temos imóveis em vários bairros do Rio, como Cordovil e Campo Grande", adianta Martins. Todas as unidades contam financiamento da Caixa e o FGTS pode ser utilizado.

Fonte: O Dia - RJ

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: