Confiança da construção civil cai pelo segundo mês consecutivo, diz FGV

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

ICST caiu 0,5 ponto em fevereiro, chegando a 92 pontos. A pontuação do índice vai de 0 a 200, sendo que a partir de 100 denota otimismo

Queda registrada foi influenciada pela piora da percepção dos empresários na avaliação do momento presente e redução das expectativas em relação aos próximos meses (Créditos: KorArkaR/ Shutterstock)

26/02/2021 | 15:50 - Conforme apuração da Fundação Getulio Vargas (FGV), o Índice de Confiança da Construção (ICST) apresentou variação de -0,5 ponto em fevereiro, caindo para 92 pontos, segunda queda consecutiva. Em médias móveis trimestrais, o índice variou - 0,6 ponto.

A pontuação do índice vai de 0 a 200, sendo que a partir de 100 denota otimismo. A pesquisa coletou informações de 673 empresas entre os dias 1 e 22 de fevereiro.

Segundo a economista Ana Maria Castelo, coordenadora de Projetos da Construção da FGV/Ibre, a percepção em relação ao ambiente atual dos negócios vem se deteriorando. “O aumento dos preços dos materiais de construção tem limitado a melhora dos negócios, refletindo na confiança do setor”, completa.

O levantamento apurou também que a queda registrada em fevereiro foi influenciada pela piora da percepção dos empresários na avaliação do momento presente e redução das expectativas em relação aos próximos meses. O Índice de Situação Atual (ISA-CST), que apura a confiança do empresário da construção no momento presente, caiu 0,5 ponto, chegando a 90 pontos.

Já o Índice de Expectativas (IE-CST) – cálculo da confiança do empresário da construção para os próximos meses – caiu 0,5 ponto, alcançando 94,1 pontos. Este é o quarto mês consecutivo com queda no índice.

O Nível de Utilização da Capacidade (NUCI) da Construção caiu 0,7 ponto percentual (p.p.), para 73,3%.