Consórcio de Imóveis tem alta de 23% em São Paulo

Texto: Redação AECweb

Foram mais de R$ 394,5 mi em volume de negócios gerados em 2009 no consórcio

26 de fevereiro de 2010 - A Rodobens Consórcio encerrou 2009 com crescimento de 23% em vendas no estado de São Paulo. O volume de créditos comercializados com o consórcio de imóveis em 2009 foi de R$ 394,5 milhões, ante R$ 321,4 milhões em 2008, de acordo com dados da empresa.

"Com a estabilização da economia, a conquista da casa própria tem se tornado realidade. E o sistema de consórcio tem contribuído para isso, pois os consórcios proporcionam uma aquisição planejada do imóvel com parcelamento, sem juros, com parcelas adequadas ao bolso do comprador", explica o diretor executivo da Rodobens Consórcio, Sebastião Cirelli.

Além disso, após a contemplação da cota, o consorciado tem total liberdade de escolha do imóvel negociando a compra à vista e pagando parcelado via consórcio.

A economia gerada pelo produto torna o sistema um tipo de poupança com objetivo determinado e um formador de patrimônio pessoal ou familiar.

De acordo com o levantamento mais recente realizado pela ABAC (Associação Brasileira das Administradoras de Consórcio), o consórcio de imóveis, entre janeiro e novembro de 2009, cresceu 13,3% nas contemplações de cotas. Isso significa que o sistema acumulou 62,3 mil contemplações em 2009 contra 55 mil em 2008.

O consórcio de imóveis também vem sendo utilizado como opção de investimento. Após a aquisição do bem contemplado, o consorciado tem a opção de alugar o imóvel e, com o valor do aluguel, adquirir outra cota.

De acordo com a ABAC, por se tratar da alternativa mais econômica, o consórcio de imóveis vem apresentando crescimento constante. "Estamos otimistas com o mercado em 2010, por isso prevemos crescimento entre 10% e 15% este ano", comenta o diretor executivo da administradora.

Os planos de consórcio da empresa destinados à aquisição de imóveis podem ser utilizados para a compra de imóvel residencial, comercial, terreno, casa de campo ou de praia, novo ou usado. Além disso, se o cliente preferir, poderá utilizar o crédito da contemplação para a construção do seu imóvel.

"O FGTS do consorciado pode ser utilizado como lance, para complementar o crédito recebido na contemplação ou, ainda, quitar parcelas, desde que a operação respeite as normas do fundo e do Sistema Financeiro da Habitação (SFH)", relembra Cirelli.

Fonte: Folha de Alphaville - SP