Construção civil começa a desacelerar, aponta sondagem da CNI

Texto: Redação AECweb

Indicador de expectativa para os próximos seis meses caiu de 65,3 pontos em setembro para 60,8 pontos em outubro

01 de novembro de 2010 - A atividade da indústria da construção civil mostra sinais de desaceleração, fato que deve se acentuar no início de 2011, aponta a Sondagem da Construção Civil, divulgada hoje pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O indicador do nível de atividade recuou de 56 pontos em agosto para 53,8 pontos em setembro.

O otimismo dos empresários do setor persiste, mas mostrou redução significativa. O indicador de expectativa para os próximos seis meses caiu de 65,3 pontos em setembro para 60,8 pontos em outubro. Os motivos para a redução, segundo a Sondagem, são o aumento da preocupação dos empresários com as condições financeiras das empresas e a competição acirrada de mercado.

O indicador de margem de lucro operacional das construtoras caiu de 52,4 para 50,2 pontos no terceiro trimestre do ano em comparação com o segundo trimestre. Ao mesmo tempo, o indicador de situação financeira diminuiu de 55,1 para 53,9 pontos. Os indicadores da pesquisa variam de zero a cem. Valores acima de 50 pontos indicam crescimento.

A falta de trabalhadores qualificados foi o principal problema apontado pelos empresários. A carência de mão de obra foi assinalada por 64% deles no terceiro trimestre, dois pontos percentuais acima do registrado no trimestre anterior.

A elevada carga tributária foi o segundo maior problema, citado por 58% dos empresários pesquisados. Com a falta de profissionais, o custo da mão de obra subiu e passou do quinto para o terceiro principal problema, apontado por 30,2% das empresas. A pesquisa foi realizada entre os dias 4 e 19 de outubro, com 393 empresas.

Fonte: Valor Online - SP