Construção civil é o grande rumo para o mercado

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Durante almoço, importância dos seguros é discutida

20 de fevereiro de 2013 - A importância de seguros capazes de impulsionar a construção civil, agregando valores aos empreendimentos, foi explicada pelo diretor executivo e pelo presidente do Conselho de Administração da Essor Seguros, respectivamente, Fábio Pinho e Jean-François Allard, durante almoço, na última terça-feira (19), com o presidente do Monitor Mercantil, Acurcio Rodrigues de Oliveira.

Com o propósito de atender a demanda da indústria da construção civil brasileira, a Essor, com sede no Rio de Janeiro, iniciou suas operações em maio de 2012, após investimento em cerca de R$ 30 milhões. Segundo estimativas de Fábio Pinho, nos próximo três anos a seguradora alcançará algo em torno de R$ 1,3 bilhão em seguros de obra.

Apesar de lembrar que o boom de projetos de obras referentes a eventos como Copa do Mundo e Olimpíadas já reduziram possibilidade de coberturas, Fábio Pinho ressaltou que o Brasil ainda é um grande nicho para seguros de construção. Na sua opinião, esse ainda é um segmento pouco explorado no país devido a pouca conscientização do mercado para a sua importância.

A Essor trouxe ao Brasil produtos diferenciados e inovadora como: Seguro de Garantia de Entrega de Obras, desenvolvido em parceria com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil (Cbic), que protege o consumidor contra a inadimplência do incorporador, garante a entrega do empreendimento ou o ressarcimento total do montante pago pelo adquirente do imóvel: Seguro Decenal, protege p incorporador/construtor e o consumidor por um período de 10 anos contra quaisquer prejuízo originado por danos relevantes nos elementos estruturais do empreendimento, como fundação alicerces, pilares, muros, elementos moldados, vigas, elementos pré-fabricados, entres outro.

O Seguro Habitacional - Apólice de Mercado (MIP e DFI), outro parceria inovadora com a Cibc, é a novidade que se diferencia no mercado por oferecer em conjunto as coberturas de morte por invalidez permanente e danos físicos ao imóvel sem ligação com qualquer instituição financeira, privilegiando o consumidor que busca o melhore produto e preço.

Fonte: Monitor Mercantil