Construção civil é o setor que mais contratou no RJ, diz Firjan

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Demais setores tiveram queda na criação de vagas no 1º semestre. Em relação a 2011, número de vagas abertas no estado foi 25% menor

21 de agosto de 2012 - O setor de construção civil foi o que mais criou vagas de trabalho no estado do Rio, no primeiro semestre de 2012: foram 25.833 vagas formais. Os dados são do estudo Acompanhamento do Mercado Formal de Trabalho Fluminense, divulgado na última segunda-feira (20) pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). Foi o único setor no estado a apresentar crescimento em relação ao mesmo período de 2011, quando foram criadas 21.072 novas vagas.

Segundo a Firjan, essas contratações estão ligadas às obras de investimentos em andamento no estado, como a implantação do Complexo do Açu, do Complexo Petroquímico do Rio (Comperj), do Arco Metropolitano, a expansão do Porto do Açu, além das obras do BRT e da Linha 4 do metrô.

Nos primeiros seis meses do ano, o estado do Rio registrou 65.919 novos postos de trabalho, número 25% menor do que o do mesmo período de 2011 (87.998), de acordo com o cenário de baixa atividade econômica, segundo a Firjan. Ainda assim, a retração foi inferior à do cenário nacional, com redução de 32% na comparação com os primeiros seis meses do ano passado.

O principal gerador de empregos no estado ainda é o setor de serviços, com 38.093 novos postos de trabalho de janeiro a junho, mas o número foi inferior à média dos últimos seis anos (40.800).

Já a indústria de transformação fluminense gerou 7.552 novos postos de trabalho no primeiro semestre de 2012, menos que os 8.663 no mesmo período de 2011. Nos últimos cinco anos, o resultado só não foi pior do que o de 2009, ano de forte impacto da crise mundial nas economias brasileira e fluminense. De janeiro a março de 2012, a indústria apresentou desempenho similar ao de 2011, mas no segundo trimestre a geração de empregos perdeu força.

Baixada surpreende

Segundo o estudo da Firjan, a Baixada Fluminense foi o grande destaque do primeiro semestre no estado, com crescimento na geração de empregos de 15% em relação ao primeiro semestre de 2011, subindo de 10.412 para 12.069 novas vagas, na contramão do cenário estadual de redução das contratações.

Também na Baixada a construção civil foi o setor que mais contratou, com 6.669 novos postos formais de emprego, desempenho 57% superior ao do primeiro semestre de 2011. Os municípios que absorveram essa mão de obra foram Queimados (4.159 empregos), em obras para geração e distribuição de energia elétrica e telecomunicações; e Itaguaí (1.487), em obras para expansão do porto.

A indústria de transformação é outro setor que merece destaque na Baixada: gerou 1.603 postos de trabalho, número mais de quatro vezes superior ao registrado no primeiro semestre de 2011 (396). Esse resultado está concentrado num único setor: alimentos e bebidas, principalmente pelos serviços de comida preparada de Duque de Caxias.

Em menor escala, metalurgia (357 postos de trabalho) também teve alta concentração de contratações em Itaguaí (324). Os demais dez subsetores industriais apresentaram números menores que em 2011, com seis deles extinguindo postos de trabalho formal: mecânica, material elétrico, material de transporte, borracha, química e vestuário.

Fonte: G1