Construção Civil é responsável por 37% dos empregos gerados no estado do Piauí

Texto: Redação AECweb

A construção civil também repercutiu na ocupação de vagas no setor de serviços (4.981 empregos gerados) e na indústria da transformação (1.876)

19 de janeiro de 2011 - Com a criação de 7.215 empregos entre janeiro e novembro de 2010, o setor da construção civil do Piauí apresentou crescimento recorde no ano e puxou a economia das demais atividades do Estado, que também empregaram mais do que nunca. Somente o comércio, por exemplo, mais que dobrou o número de vagas ocupadas no mesmo período, na comparação em 2009. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

A construção civil também repercutiu na ocupação de vagas no setor de serviços (4.981 empregos gerados) e na indústria da transformação (1.876). Ao todo, entre janeiro e novembro, foram gerados 20.716 empregos no Piauí, número nunca alcançado antes na história do Estado. E, mais uma vez, a construção civil é destaque: sozinha, foi responsável por 37% dos empregos criados.

Além do alto índice de contratações, o PIB do setor também surpreendeu bastante. O levantamento realizado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil (CBIC), aponta que o crescimento do PIB no setor em 2010 fechará em 11%, superior aos 7,5% previstos para o Brasil. Foram 340 mil empregos gerados nos dez primeiros meses em todas as unidades da Federação. É o melhor resultado do setor nos últimos 20 anos.

O presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Teresina (Sinduscon), Andrade Júnior, afirma que essa atividade é a que mais responde rapidamente quando é estimulada por investimentos. "Com 90 dias após intervenção financeira, o setor já começa a gerar empregos e, através dele, puxa demais setores", explica.

A perspectiva é de que, em 2011, o setor continue aquecido, já que o credito imobiliário continuará farto, a infraestrutura do país necessita de mais investimento para consolidar o crescimento nacional, onde o PAC 2 promete aportar recursos vultuosos, sem falar do Programa Minha Casa Minha Vida 2, que vem com a missão de construir 2 milhões de moradias nos próximas 4 anos.

Fonte: GP1 - PI