Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Construção Civil: empresários do setor irão apoiar o governo da nova presidente

Texto: Redação AECweb

Medidas como o programa Minha Casa, Minha Vida para os materiais de construção ajudaram na recuperação do setor durante o ano de 2009

16 de dezembro de 2010 - O representante do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, Cláudio Arias, afirmou, durante o evento do balanço do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os empresários da construção civil irão apoiar a nova presidente eleita, Dilma Rousseff.

Segundo a Agência Brasil, Arias declarou ainda que a categoria não se esquecerá de Lula. "Não desistiremos do senhor. Estaremos preparados para apoiar a presidente Dilma, como sempre fizemos, mas não desistiremos", enfatizou.

Crise econômica

Entretanto, ele acrescentou que a confiança dos empresários durante o governo Lula foi abalada no período da crise econômica internacional.

Mas, de acordo com Arias, as medidas como o programa Minha Casa, Minha Vida e a desoneração do IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados) para os materiais de construção ajudaram na recuperação do setor durante o ano de 2009.

PIB do setor

Na última semana, o SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo) anunciou que o PIB (Produto Interno Bruto) do setor deverá fechar o ano com crescimento de cerca de 11%.

De acordo com a entidade, vários fatores contribuem para esta previsão. O mais expressivo é o do nível de emprego formal da construção brasileira, que cresceu 15,1% no período de janeiro a setembro de 2010, comparado ao mesmo período de 2009.

Além disso, em novembro, a indústria de materiais utilizou 91,1% de sua capacidade instalada, um nível recorde. Até setembro, o consumo de cimento no ano acumulava crescimento de 17,1%, e o de aço, de 19,1%.

Em 2011

Para o próximo ano, a estimativa é que o PIB cresça 6%, estimulado pelos investimentos públicos e privados.

"A construção em 2011 deverá crescer em um ritmo menos acelerado do que em 2010, impulsionada pelos investimentos públicos e privados, pelo PAC 2, pelo Minha Casa, Minha Vida 2 e pelas obras relativas à preparação da Copa do Mundo de 2014 e da Olimpíada de 2016", afirmou o presidente do SindusCon-SP, Sergio Watanabe.

Fonte: Infomoney – SP


 


 


 

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: