Construção civil ganha impulso no Reino Unido

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Declínio acontece em algumas regiões

25 de abril de 2013 - Dez empresas ouvidas pela pesquisa reportaram aumento do volume de trabalho no primeiro trimestre de 2013, contra seis nos últimos três meses do ano passado. O resultado é maior desde o quarto trimestre de 2007.

Em relação ao futuro, as empresas estão mais otimistas: 27 disseram que esperam aumento da carga de trabalho nos próximos 12 meses, ante 15 na pesquisa anterior.

"Ainda é muito cedo para falar em recuperação do setor de construção. O aumento da produção no início do ano é uma notícia um pouco melhor", afirma Simon Rubinsohn, economista-chefe da Royal Institution of Chartered Surveyors.

"Os esforços do governo para estimular o mercado parecem estar tendo agora algum impacto, mas ainda existem grandes desafios a serem superados. A disponibilidade de financiamento e questões relacionadas ao planejamento, particularmente, continuam a ser obstáculos ao desenvolvimento", diz ele.

Enquanto a construção de novas casas por empresas privadas recebeu impulso a partir de iniciativas do governo, outras áreas da construção têm apresentado resultados menos positivos. O volume de trabalho do setor público u2013 que inclui projetos habitacionais e não habitacionais u2013 permaneceu inalterado em relação ao último trimestre de 2012.

Também há uma divisão regional evidente. Londres e o sudeste da Inglaterra registraram crescimento da atividade, enquanto houve declínio no sudeste do país, no País de Gales e na Escócia.

Além disso, empresas afirmaram que a falta de financiamento continua sendo o principal obstáculo para os negócios, seguida de perto pela fraca demanda e pelas questões de planejamento. Esses três problemas atualmente são alvo de uma série de iniciativas do governo e de discussões no setor.

Fonte: Sinaenco