Construção civil prevê crescimento recorde em 2011

Texto: Redação AECweb

Índice de crescimento for confirmado, será o maior dos últimos vinte anos, superando as expectativas

04 de janeiro de 2011 - Os que estão desempregados e buscam uma oportunidade de ingressar no mercado de trabalho devem ficar atentos às oportunidades na construção civil. O setor fechou o ano com um recorde de crescimento e prevê para 2011 a criação de 90 mil postos de trabalho, segundo o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado (Sinduscon).

Em 2010, a construção civil movimentou recursos da ordem de R$ 1 bilhão. Atualmente, o Estado aplica cerca de R$ 6,5 milhões no setor, representando 62.500 empregos diretos e indiretos. O índice de crescimento do setor, se confirmado, será o maior dos últimos 20 anos, cerca de três pontos percentuais acima da estimativa original do setor.

De acordo com Andrade Júnior, presidente do Sinduscon, o mercado de trabalho da construção civil está aquecido e a economia ajuda a alavancar a abertura de vagas. "Eu prevejo que a partir deste ano teremos recordes a cada mês. A economia vai muito bem para o setor que teve um grande crescimento nos últimos anos", pontuou.

A diretoria do Sindicato acredita que o resultado será consequência, principalmente, da expansão do crédito e dos investimentos em infraestrutura. A previsão é que a indústria da construção civil cresça 11% este ano e supere inclusive a expectativa de avanço do Produto Interno Bruto (PIB) setorial feita pelo próprio segmento.

Andrade Júnior explicou ainda que programas públicos de habitação e liberação de crédito habitacional são as causas para o crescimento da construção civil no Piauí, assim como em todo país. "Nós temos o Minha Casa, Minha Vida e outros programas federais que estão aquecendo a construção civil. Além disso, a liberação de crédito para a compra da casa própria está fazendo com que a indústria da construção civil tenha expansão no Brasil", detalhou.

Para o presidente do Sinduscon, o aquecimento econômico na indústria da construção civil acaba alavancando o desenvolvimento no setor de serviços prestados à população. "O aluguel de imóveis para residência e estabelecimentos comerciais, atividades de serviço, também crescem com a indústria da construção civil", declarou, acrescentando que as previsões indicam que a construção civil pesada dará impulso ao crescimento econômico, mantendo o dinamismo interno verificado no ano passado.

Fonte: Jornal O Dia