Construção civil reclama das intervenções do TCU e de órgãos ambientais

Texto: Redação AECweb

Em encontro com Lula, empresas do setor ressaltaram que as obras públicas estão travadas

10 de setembro de 2009 - Empresas de construção civil reclamaram ontem ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva das intervenções do Tribunal de Contas da União (TCU) e órgãos ambientais que têm travado o andamento de obras públicas.

"Isso tem provocado a desistência pelas empresas de algumas obras. Para se ter um ideia, a Ferrovia Norte-Sul, que são 13 lotes de obras , seis foram paralisados porque o tribunal Tribunal de Contas da União determinou que fosse feita a retenção", disse o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, que participou da reunião.

Segundo Nascimento, o governo tentará intermediar uma solução. As empresas, segundo ele,  apresentarão as propostas de solução, inclusive, para uma nova Lei de Licitações. Com frequência, o presidente Lula critica a fiscalização e o rigor da leis ambientais que atrasam as obras públicas.

O encontro das 15 empresas com Lula também tratou da construção do Trem de Alta Velocidade (TAV) que prevê a ligação Rio de Janeiro/São Paulo e Campinas. O custo estimado da obra é de R$ 34,62 bilhões.

O ministro dos Transportes informou que, na próxima semana, terá um encontro com os empresários a fim de discutir a criação de um consórcio para a construção do TAV. A reunião será no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no Rio de Janeiro.

Fonte: Agência Brasil