Construção defende revisão na metodologia do PIB

Texto: Redação AECweb

Na metodologia atual, o IBGE foca apenas a produção de materiais, e não o valor que se agrega à construção de imóveis

08 de março de 2010 - O setor da construção civil deve crescer cerca de 9% em 2010, ante 8,1% em 2008 e depois de uma variação negativa esperada para 2009. O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), Paulo Safady Simão, defende uma revisão na metodologia do PIB, "para captação da expansão correta do setor".

Simão disse que no próximo dia 11, ao divulgar o Produto Interno Bruto (PIB) de 2009, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) deve anunciar crescimento negativo entre 3% e 4% para a construção civil.

"Nas nossas contas, seria positivo em, no mínimo, 2%" , comentou ele. "Não é que o cálculo esteja errado, mas há aí uma distorção", continuou ele, informando que essa semana conversou com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, sugerindo uma revisão de metodologia do IBGE para captar a contribuição do setor à economia do País.

Simão disse que, na metodologia atual, o IBGE foca apenas a produção de materiais, e não o valor que se agrega à construção de imóveis, como a mão de obra, por exemplo.

No caso dos números de 2009, a crise internacional obrigou muitas empresas a esgotar os insumos que tinham em estoque. E a falta de aumento nessa variável levaria o IBGE a divulgar um número negativo, segundo a Cbic. Simão disse que o ministro Mantega autorizou negociações do setor com o IBGE.

Simão falou ainda que o governo está usando o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2 como bandeira eleitoral, além de usá-lo para corrigir erros do PAC original.

Fonte: DCI-SP