Construção eleva produtividade na habitação

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

De acordo com Sinduscon – SP evolução já é sentida nas edificações

03 de setembro de 2013 - Soluções industrializadas, inovações em projetos e métodos construtivos, e o treinamento da mão de obra têm contribuído para a elevação da produtividade na edificação de estruturas no Brasil. Foi o que mostrou o coordenador do CTQ (Comitê de Tecnologia e Qualidade) do SindusCon-SP, Jorge Batlouni, em seminário sobre habitação no Concrete Show, em 28 de agosto, no Centro de Exposições Imigrantes.

Batlouni destacou a necessidade de incremento da produtividade, uma vez que os custos com a mão de obra subiram expressivamente nos últimos anos. Segundo ele, essa evolução já se fazia sentir. A produtividade na execução de um metro cúbico de estrutura de concreto, que vem aumentando nas últimas décadas, em 2008 era em média de 17 Homens/hora e hoje já chega está em cerca de 15 H/h. Batlouni observou que o incremento em produtividade nesta área no Brasil tem sido de 3% ao ano, ainda abaixo daquele dos EUA, de 4%.

O coordenador do CTQ mostrou o emprego recente de novas soluções na execução dessas estruturas, como minigruas, mastros distribuidores de concreto e spiders. Ele também destacou a importância das Missões Técnicas do SindusCon-SP ao exterior, como a realizada no ano passado à Alemanha, para trazer inovações que elevam a produtividade.

Minha Casa - Ao abrir o seminário, a secretária Nacional da Habitação, Inês Magalhães, negou que o governo esteja cogitando reajustar os valor pagos pelos imóveis da faixa 1 do Programa Minha Casa, Minha Vida. Segundo ela, a baixa produção para esta faixa no município de São Paulo seria um problema da capital paulista e não do MCMV, e só poderia ser mitigada por parcerias e mudanças no Plano Diretor.

Ela anunciou que o Ministério está desenvolvendo diversas ações para estimular a produtividade e a inovação na construção de moradias, favorecendo a sustentabilidade e a durabilidade das edificações do programa, bem como a redução do custo de sua manutenção futura.

Inês informou que até agosto as duas fases do MCMV juntas haviam investido R$ 183 bilhões, contratado 2,8 milhões de habitações, sendo 789 mil na faixa 1 (esta, para famílias com renda de até R$ 1.600). Das contratadas, 1,5 milhão foi entregue.

Ela ainda mencionou a criação de um grupo de trabalho dentro do Ministério das Cidades, voltado à elevação da produtividade na habitação popular, que será coordenado pelo economista e ex-profissional da FGV e do SindusCon-SP Fernando Garcia, atualmente coordenador do Departamento Econômico da Confederação Nacional de Serviços.

Também presente, o secretário estadual da Habitação, Silvio Torres, anunciou que em meados de setembro sairia o edital da PPP para a construção de 20,2 mil moradias na capital paulista. O seminário foi coordenado pelo presidente da ABCP, Renato Giusti.

Início dos trabalhos - Na cerimônia de abertura do Concrete Show, com as presenças de Inês e Torres, o SindusCon-SP foi representado por Luiz Antônio Messias, vice-presidente de Obras Públicas.

Fonte: Sinduscon - SP