Construção ganha programa nacional de inovação tecnológica

Texto: Redação AECweb

Após fase de prospecção e estudos, projeto parte para a etapa de desenvolvimento de nove projetos de construção sustentável

22 de maio de 2009 - Com o apoio do Comitê de Tecnologia e Qualidade (CTQ) do SindusCon-SP, a CBIC lançou o Programa de Inovação Tecnológica (PIT), cujo objetivo é preparar o setor da construção para o grande desafio do advento de ferramentas mais modernas de construção e gestão de obras, bem como discutir a construção do futuro.

O lançamento ocorreu em Brasília, durante a “I Jornada sobre Mudanças Climáticas e Consumo Sustentável”, em cerimônia que contou com a presença do presidente do SindusCon-SP, Sergio Watanabe.

O projeto já passou pela primeira fase – de prospecção e estudos– e parte agora para a etapa de desenvolvimento de nove projetos de construção sustentável prioritários, que vão avançar nos temas da eficiência energética, uso racional da água, inovação tecnológica, treinamento e melhoria da mão-de-obra, gestão da qualidade, gestão dos resíduos e proteção ao verde.

Um deles, o de Montagem dos Comitês Estaduais, será coordenado pelo diretor de Relações Internacionais do SindusCon-SP e membro do CTQ do sindicato, Salvador de Sá Benevides.

Para o presidente da CBIC, Paulo Safady Simão, a construção será a alavanca maior para tirar o país da crise econômica internacional. “Pensamos hoje na construção do futuro, nas novas metodologias, nos novos empregos e no uso responsável da matéria-prima”, diz Simão.

O Projeto de Tributação Compatível com a Industrialização e Inovação será coordenado pelo presidente da Abramat, Melvyn David Fox. O objetivo é articular diretamente com as entidades da cadeia produtiva a análise e ações para dar aos produtos industrializados as condições necessárias para substituir a produção artesanal em canteiro de obras.

Os demais projetos são:
1) Projeto Modulação (coordenador Mário William Esper, da ABCP) – composto de um comitê interdisciplinar/ interinstitucional de membros da CBIC, AsBea, Abece e Abramat, irá analisar as normas técnicas nacionais e padrões internacionais, além de elaborar textos base.

2) Projeto Capacitação para a Inovação (Vicente Mário Visco Mattos, presidente do Sinduscon-BA). Ele focará na capacitação para medição de produtividade dos empreiteiros e formação do preço de serviços com inovações tecnológicas e sistemas industrializados, além de cursos e a integração com o sistema Senai;

3) Projeto Ciência e Tecnologia para a Inovação na Construção (José de Paula Barros Neto, da Antac), que consolidará o “roadmap” de necessidades percebidas pelas empresas para dirigir a pesquisa para as inovações necessárias – usar o que está apontado no relatório final do projeto e aperfeiçoar/ detalhar;

4) Projeto Revisão de Códigos de Obras, que contratará serviços especializados para analisar os códigos das principais cidades e seus impeditivos à inovação, no sentido de facilitar a padronização de sistemas construtivos e o emprego de inovações. Está prevista ainda a elaboração do modelo em uma norma ABNT para elaboração de Códigos de Obras e ações com o Ministério das Cidades para criação de uma agenda de revisão de Códigos de Obras das principais cidades brasileiras.

5) Projeto Viabilização da Inovação em Obras Públicas (José Roberto Bernasconi, presidente do Sinaenco), que fará a análise dos efeitos da Lei 8.666 (Lei de Licitações) e processos de licitação sobre a introdução de inovações; identificação de “benchmarking” e definição de ações a serem feitas neste sentido, como a criação de diretrizes gerais e procedimentos para contratação de projetos e obras válidos para toda a administração pública baseados em “desempenho”;

6) Projeto Viabilização do Sinat – Sistema Nacional de Aprovações Técnicas (José Carlos Martins, vice-presidente da CBIC), que pretende articular com as instituições diretamente envolvidas ações para viabilizar o credenciamento efetivo das OTAs (Organização Técnica Avaliadora) e acelerar a elaboração dos documentos de aprovação e a implantação das OTAs nas várias regiões;

7) Projeto Conhecimento para a Inovação (Raquel Naves Blumenschein, coordenadora do Laboratório do Ambiente Construído, Inclusão e Sustentabilidade - LACIS/CDS/FAU/UNB). O objetivo é viabilizar a capacitação em áreas com lacunas de conhecimento (cursos, publicações traduzidas e produzidas no Brasil) que impactam o desenvolvimento de inovações – formação de especialistas, capacitação dos projetistas atuais e equipes de construtoras.

Fonte: Sinduscon-SP